Vinhas de Luz

Vinhas de Luz

segunda-feira, 15 de maio de 2017

"NOS MOMENTOS GRAVES"

Nos Momentos Graves Use calma. A vida pode ser um bom estado de luta, mas o estado de guerra nunca será uma vida boa. * Não delibere apressadamente. As circunstâncias, filhas dos Desígnios Superiores, modificam-nos a experiência, de minuto a minuto. * Evite lágrimas inoportunas. O pranto pode complicar os enigmas ao invés de resolvê-los. * Se você errou desastradamente, não se precipite no desespero. O reerguimento é a melhor medida para aquele que cai. * Tenha paciência. Se você não chega a dominar-se, debalde buscará o entendimento de quem não o compreende ainda. * Se a questão é excessivamente complexa, espere mais um dia ou mais uma semana, a fim de solucioná-la. O tempo não passa em vão. * A pretexto de defender alguém, não penetre o círculo barulhento. Há Pessoas que fazem muito ruído por simples questão de gosto. * Seja comedido nas resoluções e atitudes. Nos instantes graves, nossa realidade espiritual é mais visível. * Em qualquer apreciação, alusiva a segundas e terceiras pessoas, tenha cuidado. Em outras ocasiões, outras pessoas serão chamadas a fim de se referirem a você. * Em hora alguma proclame seus méritos individuais, porque qualquer qualidade excelente é muito problemátia no quadro de nossas aquisições. Lembre-se de que a virtude não é uma voz que fala, e, sim, um poder que irradia. * * * Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Agenda Cristã. Ditado pelo Espírito André Luiz. Edição de Bolso. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1999.

"NÃO NOS DEIXEIS CAIR EM TENTAÇÃO"

A Bondade Infinita de Deus não permitirá que venhamos a cair sob as tentações, mas, para isso, é necessário que nos esforcemos, colaborando, de algum modo, com o auxilio incessante de Nosso Pai. Há leis organizadas para beneficio de todos, mas, se não as respeitarmos, como poderemos contar com a proteção delas, em nosso favor? Sabemos que o fogo destrói. Por isso mesmo, não devemos abusar dele. Não podemos rogar o socorro divino para a imprudência que se repete todos os dias. Se um homem estima a preguiça, não atrairá as bênçãos que ajudam aos cultivadores do trabalho. Se uma pessoa vive atirando espinhos à face dos outros, como esperará sorrisos na face alheia? É indiscutível que a Providência Divina nos ajudará constantemente, livrando-nos do mal; entretanto, espera encontrar em nós os valores da boa-vontade. Não ignoramos que o Pai Celestial está sempre conosco, mas, muitas vezes, somos nós que nos afastamos do Nosso Criador. Para que não venhamos a sucumbir sob os golpes das tentações, é indispensável saibamos procurar o bem, cultivando-o sem cessar. Não há colheita sem plantação. Certamente, devemos esperar que Deus nos conceda o "muito" de seu amor, mas não olvidemos que é preciso dar "alguma coisa" do nosso esforço. * * * Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Pai Nosso. Ditado pelo Espírito Meimei. 19a edição. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1999.

"VÍCIOS DA ALMA"

Todos os vícios, sejam eles químicos (alcoólicos, fumo, drogas ilícitas) ou morais (egoísmo, maledicência, orgulho, preguiça, indiferença etc.),de alguma forma lesam as estruturas sutis do perispirito que possuem como função, refletir e absorver emoções e experiências vivenciadas.
Quem se utiliza de substâncias intoxicantes, chama a presença    de vampiros desencarnados e encarnados,que dividem com o drogadito  o prazer funesto dos entorpecentes que facilitam os desprendimentos  da alma, direcionando-a à morte precipitada.
Quem se dá ao luxo de inconsequências da moral, se vincula por tempo indeterminado, a espíritos vagabundos sugadores das energias genésicas (sexuais) .
Tais entidades infelizes, se apoderam da vitalidade e da euforia do hospedeiro, aprisionando-o a condição de  fonte de sevícias e instrumento de vampirizaçao de outros indolentes que a ele se vinculem, criando terríveis repercussões futuras, seja na condição de encarnado ou de  desencarnado.
esta rede de parasitismo e simbiose espiritual, possibilita  certas   manifestações  metaplásicas (cânceres), desequilíbrios hormonais (alguns distúrbios da tireoide e das gônadas ) além das  distonias mentais ,como as neuroses compulsivo obsessivas e síndromes  de perseguições indefinidas, que superlotam os consultórios médicos.
O prazer em si, é respeitável descoberta do gênero humano,    contudo, seu desvirtuamento e escravização,  é  suicídio iminente.
Espírito Angélica  

médium  Luiz Cláudio- Agosto de 2006- Grupo Fraternal de Espiritismo

"SOMOS O QUE ATRAÍMOS"

“Você nasceu no lar que precisava nascer, vestiu o corpo físico que merecia, mora onde Deus melhor te proporcionou, de acordo com teu adiantamento. 
Você possui os recursos financeiros coerentes com as tuas necessidades, nem mais, nem menos, mas o justo para tuas lutas terrenas.
 Seu ambiente de trabalho é o que você elegeu espontaneamente para sua realização. 
Teus parentes e amigos são as almas que você mesmo atraiu, com tua própria afinidade, portanto, seu destino está constantemente sob teu controle. 
Você escolhe, recolhe, elege, atrai, busca, expulsa, modifica tudo aquilo que te rodeia a existência. 
Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes. São as fontes de atração e repulsão na jornada da tua vivência. 
Não reclame nem se faça de vítima. Antes de tudo, analisa e observa, a mudança está em tuas mãos. Reprograma tua meta, busca o bem e você viverá melhor. 

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”. 
Chico Xavier

domingo, 14 de maio de 2017

“A INSPIRAÇÃO DA HUMANIDADE. ”

O Universo é projetado para ser reflexivo. Tudo o que você colocar para fora volta para você. Isso é chamado de Lei de Ação e Reação, a Lei do Karma, ou é simplesmente referido pela frase, "O que envia ao redor, volta ao seu redor."
No entanto, no trabalho espiritual, há uma maneira de aumentar o que chega ao seu redor. O que se passa pode realmente voltar como mais do que você deu, e isso envolve um paradoxo.
Em suas práticas espirituais, você pode gerar um profundo sentimento de paz e inspiração; o que traz um sentido maravilhoso de elevação espiritual. Por exemplo, em suas meditações, você pode se inspirar com uma visão de um mundo futuro cheio de paz e liberdade para todos.
Você pode ver, em sua mente, um futuro mundo onde todos no planeta estão seguros, e onde você pode viajar para qualquer lugar do planeta com facilidade. Neste futuro, você verá que todos estão conscientemente conscientes da conexão do seu coração com os corações de cada ser humano no planeta. Neste ambiente de apoio, todos têm plena liberdade para expressar sua criatividade única como sua contribuição para uma sociedade amorosa.
Ao respirar profundamente do ar limpo e fresco dessa visão do futuro, você sente sua conexão com a Mãe Terra e com o Sol que dá vida, que brilha incessantemente em nosso mundo. Então, você envia o seu Amor e gratidão à Terra e ao Sol, e espera em antecipação tranquila por aqueles grandes seres conscientes enviar seu Amor e inspiração para você em troca.
Enquanto nesse estado de profunda inspiração, ocorre a você que a maioria da humanidade precisa desesperadamente deste tipo de elevação; que a maioria das almas neste planeta hoje está morrendo de fome em um deserto auto-criado, espiritual. Isso leva-o a perceber que você tem a oportunidade de servir a humanidade através de um ato de auto-sacrifício; através de um ato de desistir do que você tem, a fim de ajudar os outros que não seriam ajudados de outra forma.
Enquanto neste estado, o sentido de Amor Incondicional que você tem para a humanidade praticamente pede que você ajude aqueles que ainda não estão equipados para fazer isso por si mesmos. Se você agora der esse estado, essa energia, esse sentimento de inspiração, e o enviar para a consciência de grupo da humanidade, então você criou um vácuo dentro de si mesmo.
Pela lei da ação e da reação, esse vácuo deve ser preenchido. No entanto, um ato de auto sacrifício no serviço aos outros tem um efeito colateral: Ele aumenta a frequência de sua consciência mais elevada, mais do que era antes. Assim, quando o vácuo se torna repleto de inspiração e elevação do Universo, ele é preenchido com uma frequência ainda maior de consciência do que antes.
Por causa disso, você se tornará mais inspirado e mais elevado do que nunca. Com o ato de sacrificar o que você tinha, você realmente ganhará mais do que antes. Tal é o paradoxo do Amor em ação.
É também a base do antigo caminho do Karma Yoga - o caminho para Deus através da ação e do serviço.
Ao dar energia espiritual à humanidade, você pisa um caminho de ação espiritual. Este caminho poderoso de dar o que você tem, a fim de inspirar os outros, é aquele que leva você a continuamente mais elevados estados de inspiração ao longo de seu próprio caminho espiritual.
Faça da sua vida - e do mundo - um lugar mais pacífico e satisfatório praticando a técnica do Amor e da Luz.
Owen K Waters
Website: http://www.lightmagic.us/inspiration/
Traduzido por Adriano Pereira

blogluzevida@gmail.com

“AS APARIÇÕES DE NOSSA SENHORA NA VISÃO ESPÍRITA

Você certamente já ouviu falar nas aparições de Nossa Senhora – ou Maria, a mãe de Jesus. Aqui vai a minha opinião a respeito do assunto. Assista o vídeo ou, se preferir, leia o artigo logo abaixo.
Uma das dificuldades que um espírita tem quando estuda a Bíblia (na verdade o Novo Testamento) é explicar o que é o espírito santo. Nos meus estudos sobre o Evangelho de Lucas e o Evangelho de João, no Youtube, eu demonstrei que na maior parte das vezes a melhor tradução é um espírito santo, e não o espírito santo. Não vou discutir isso agora.
Nós não sabemos exatamente qual era a visão que os evangelistas tinham do espírito santo, o que eles queriam dizer com espírito santo. Muitas vezes parece se referir a um espírito, como nós entendemos hoje, mas nem sempre.
A verdade é que eles não tinham o conhecimento que nós temos hoje. Os seus conceitos não eram bem estabelecidos, não eram bem definidos.
A Igreja resolveu esse problema inventando a santíssima trindade: pai, filho e espírito santo.
Mas o que passa despercebido por quase todo mundo é que até nisso o machismo imperou. O machismo vigente tanto entre os israelitas no tempo de Jesus quanto entre os primeiros cristãos – e mantido até hoje – não deixou espaço para a mulher.
Tem o pai, tem o filho, e tem o espírito santo. Mas cadê a mãe? Não tem mãe na divindade. A divindade é masculina, a ideia de Deus que nos foi passada é masculina. Até hoje, quase todos nós, que tivemos uma orientação religiosa tradicional na primeira infância, inconscientemente formamos uma ideia antropomórfica de Deus, imaginamos um velho barbudo com cara de brabo.
Os israelitas viviam um regime patriarcal onde a mulher não tinha vez. Jesus tentou mudar isso. Jesus tratou a mulher como igual, mas os seus discípulos não souberam manter isso. Logo depois da morte de Jesus já houve disputa entre os discípulos homens e Maria Madalena, que era muito próxima de Jesus. A prova de que Maria Madalena era especial para Jesus é que mesmo nos quatro Evangelhos aceitos tradicionalmente a primeira pessoa a ver Jesus ressuscitado é Maria Madalena.
Mas os homens na época não podiam aceitar isso. O apóstolo Paulo chega a proibir a mulher de falar na Igreja, porque era uma vergonha uma mulher falar em público – se ela quisesse perguntar alguma coisa devia ficar quieta na Igreja e esperar chegar em casa para perguntar para o seu marido.
Mais tarde, quando a Igreja foi adotada por Roma, muitas antigas religiões pagãs foram absorvidas pelo Cristianismo. Os povos pagãos foram sendo cristianizados, só que eles tinham vários deuses e deusas, havia a crença na deusa mãe, na mãe divina. O jeito de resolver essa questão foi dar um papel de destaque para a mãe de Jesus.
Então criaram uma figura feminina próxima de Deus – já que Jesus para eles também é Deus. Mas nós não vemos esse protagonismo de Maria nos Evangelhos. Dizem que Maria intercede por nós junto ao seu filho Jesus. Mas não há nada disso no Evangelho. Maria aparece pouco no Evangelho e não é muito lisonjeada por Jesus.
Nada contra a devoção a Maria – a figura de Maria se tornou um importante arquétipo, essa figura resume em si importantes qualidades femininas, maternais. Quando uma pessoa ora fervorosamente a Maria essa pessoa está sintonizando com essas qualidades maternais, protetoras, que ela atribui a Maria.
A oração é, antes de mais nada, uma concentração do pensamento.
Como orar e ser atendido
Se concentramos o nosso pensamento em Jesus, nós vamos sintonizar com as forças que nós atribuímos a Jesus – por que cada um de nós vê Jesus de forma ligeiramente diferente. Quanto mais alto for o nosso pensamento, quanto mais elevado, quanto mais grandiosas forem as qualidades que nós atribuímos a um ser (a Maria, por exemplo) mais nós nos elevamos – e nós colhemos das forças com que nós sintonizamos.
Existem muitos casos de aparições de Maria. Em várias partes do mundo. Em várias épocas. Existem livros e escritos sobre isso, estudos foram feitos sobre isso.
Um dos casos mais famosos da atualidade, aqui no Brasil, é o do advogado carioca Pedro Siqueira, uma pessoa que transpira credibilidade. Ele afirma ver e se comunicar com Maria desde que nasceu. Se analisamos os relatos dele, encontramos todas as evidências de um fenômeno mediúnico. Particularmente não tenho a menor dúvida em relação a isso.
É a própria Maria mãe de Jesus que se comunica com ele? Particularmente, eu tenho convicção que não.
Por que? Por que ele não é o único a afirmar que se comunica com Maria. Tem outros no Brasil, e se pesquisarmos, deve haver centenas de pessoas no mundo, atualmente, que afirmam a mesma coisa. Maria é um espírito assim como nós, é uma individualidade. Um espírito não pode se apresentar em mais de um lugar ao mesmo tempo – e por mais dinâmico que seja um espírito, ele não terá condições de se apresentar pessoalmente a tantas pessoas pelo mundo todo praticamente a toda hora – somando todos os relatos, ela apareceria praticamente a toda hora.
Uma coisa que eu não entendia na adolescência é como uma determinada entidade – se vê muito isso na Umbanda – como um preto velho que se apresenta como Pai José, por exemplo, pode se apresentar em vários centros de Umbanda ao mesmo tempo. Eu pensava que podia ter alguma fraude ali.
Mais tarde eu fui entender que os pretos velhos – só pra ficarmos nesse exemplo – são ordens de trabalho. Existem algumas centenas ou milhares de espíritos que atendem pelo nome de preto velho Pai José. São espíritos humildes, uns bastante sábios, outros apenas bem intencionados, se esforçando para ajudar – espíritos que trabalham em nome de uma causa, abnegadamente, anonimamente, não se apresentam com o nome que usaram em alguma existência física.
Acontece algo semelhante no caso de Maria. Possivelmente o próprio espírito que foi Maria comande uma força de trabalho com o objetivo de ajudar os espíritos encarnados e os desencarnados no seu processo de espiritualização. Mas isso não quer dizer que seja ela mesma a se comunicar.
Temos que compreender que as nossas crenças são limitadoras. No próprio meio espírita nós temos uma série de crenças limitadoras.
E no caso de quem é católico, que não conhece o Espiritismo, não conhece ou não acredita em mediunidade – se um espírito se apresenta para ele, ele vai achar ou que está louco ou que é o demônio. Por que ele não acredita na comunicação com os espíritos. Quem pode se comunicar são os santos, a virgem Maria e os demônios. O que eles não percebem é que mesmo isso são fenômenos mediúnicos.
Se um espírita tem uma tarefa a realizar o seu mentor ou o seu guia se comunica com ele . No caso de um católico esse espírito vai ter que assumir uma personalidade conhecida, vai ter que congregar uma ordem de trabalho e se apresentar, como é o caso que estamos tratando, como a virgem Maria.
É comum casos de pessoas que têm uma experiência mística, ou uma experiência de desdobramento, ou quando se aproxima o momento do desencarne, e que dizem ter visto Jesus ou a virgem Maria. Elas estão vendo um espírito amigo, talvez o mentor do seu grupo familiar – mas o próprio mentor se apresenta daquela forma para ser aceito, para tranquilizar a pessoa.
O trabalho é o mesmo. O trabalho exercido pelos espíritos é o mesmo. Quem faz essas distinções somos nós, que vivemos muito iludidos neste mundo de aparências e rótulos.

Morel Felipe Wilkon