Vinhas de Luz

Vinhas de Luz

quinta-feira, 1 de julho de 2010

"VAI... E VIVE A VIDA"

Uma pessoa está de joelho diante de Jesus. “Senhor. Se queres, pode curar-me”. Quero. Fica curado. Mas não digas a ninguém que foi eu quem te curou. “VAI E VIVE A VIDA”.
Como somos diferentes do Cristo.! Só fazemos o bem a que nos recompensa de alguma forma. E quando esta recompensa não vem em forma de palavras, de carinho, de dinheiro...não repetimos o bem a quem não nos demonstrou gratidão.
Willlian Shakespeare diz: “AMAR É NÃO TER JAMAIS QUE PEDIR PERDÃO”. Eu digo que amar é aceitar integralmente às pessoas como elas são; um ser único criado por Deus; importante e diferente de todos os outros.
A liberdade interior de alguém capaz de fazer o bem sem buscar a compensação do obrigado; da gratidão, do reconhecimento, é um dos estágios mais avançados do ser humano.
O amor que nos leva a fazer o bem, ou é gratuito ou não é amor.
Às pessoas se realizam como gentes na medida em que forem capazes de fazer o bem, sem buscar o reconhecimento do obrigado compensador.
“Vai e vive a Vida”. Não me agradeça por favor. Sou eu quem te agradece a oportunidade de sentir a felicidade de servir, de fazer o bem.
O bem por si mesmo se justifica.
Fazer o bem. Amar sem buscar a compensação do obrigado é viver no mundo das pessoas livres.

“VAI... E VIVE A VIDA”!

Só às pessoas livres são capazes de dizer esta frase.

"VAI... E VIVE A VIDA"

Uma pessoa está de joelho diante de Jesus. “Senhor. Se queres, pode curar-me”. Quero. Fica curado. Mas não digas a ninguém que foi eu quem te curou. “VAI E VIVE A VIDA”.
Como somos diferentes do Cristo.! Só fazemos o bem a que nos recompensa de alguma forma. E quando esta recompensa não vem em forma de palavras, de carinho, de dinheiro...não repetimos o bem a quem não nos demonstrou gratidão.
Willlian Shakespeare diz: “AMAR É NÃO TER JAMAIS QUE PEDIR PERDÃO”. Eu digo que amar é aceitar integralmente às pessoas como elas são; um ser único criado por Deus; importante e diferente de todos os outros.
A liberdade interior de alguém capaz de fazer o bem sem buscar a compensação do obrigado; da gratidão, do reconhecimento, é um dos estágios mais avançados do ser humano.
O amor que nos leva a fazer o bem, ou é gratuito ou não é amor.
Às pessoas se realizam como gentes na medida em que forem capazes de fazer o bem, sem buscar o reconhecimento do obrigado compensador.
“Vai e vive a Vida”. Não me agradeça por favor. Sou eu quem te agradece a oportunidade de sentir a felicidade de servir, de fazer o bem.
O bem por si mesmo se justifica.
Fazer o bem. Amar sem buscar a compensação do obrigado é viver no mundo das pessoas livres.

“VAI... E VIVE A VIDA”!

Só às pessoas livres são capazes de dizer esta frase.