Vinhas de Luz

Vinhas de Luz

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

"A RAÇA ADÂMICA." "EXILADOS DE CAPELA"

Nos mapas zodiacais, que os astrônomos terrestres compulsam em seus estudos, observa-se desenhada uma grande estrela na Constelação do Cocheiro, que recebeu, na Terra, o nome de Cabra ou Capela. Magnífico sol entre os astros que nos são mais vizinhos, ela, na sua trajetória pelo Infinito, faz-se acompanhar, igualmente, da sua família de mundos, cantando as glórias divinas do Ilimitado. A sua luz gasta cerca de 42 anos para chegar à face da Terra, considerando-se, desse modo, a regular distância existente entre a Capela e o nosso planeta, já que a luz percorre o espaço com a velocidade aproximada de 300.000 quilômetros por segundo.
Quase todos os mundos que lhe são dependentes já se purificaram física e moralmente, comparando às condições de atraso moral da Terra,onde o homem se reconforta com as vísceras dos seus irmãos inferiores, como nas eras pré-históricas de sua existência, marcham uns contra os outros ao som de hinos guerreiros, desconhecendo os mais comezinhos princípios de fraternidade e pouco realizando em favor da extinção do egoísmo, da vaidade, do seu infeliz orgulho.
Há muitos milênios, um dos orbes (mundos) da Capela, que guarda muitas afinidades com o globo terrestre, atingira a culminância de um dos seus extraordinários ciclos evolutivos.
As lutas finais de um longo aperfeiçoamento estavam delineadas,como ora acontece conosco, relativamente às transições esperadas no século XX, neste crepúsculo de civilização.
Alguns milhões de Espíritos rebeldes  lá existiam, no caminho da evolução geral, dificultando a consolidação das penosas conquistas daqueles povos cheios de piedade e virtudes, mas uma ação   de saneamento geral os alijaria daquela humanidade, que fizera jus à concórdia perpétua, para a edificação dos seus elevados trabalhos .
As grandes comunidades espirituais, diretoras do Cosmos, deliberam, então, localizar aquelas entidades, que se tornaram pertinazes no crime, aqui na Terra, longínqua, onde aprenderiam a realizar, na dor e nos trabalhos penosos do seu ambiente, as grandes conquistas do coração e impulsionando, simultaneamente, o progresso dos seus irmãos inferiores. Foi assim que Jesus recebeu, à luz do seu reino de amor e de justiça, aquela turba de seres sofredores e infelizes.
Com a sua palavra sábia e compassiva, exortou essas almas desventuradas à edificação da consciência pelo cumprimento dos deveres de solidariedade e de amor, no esforço regenerador de si mesmas.
Aqueles seres angustiados e aflitos, que deixavam atrás de si todo um mundo de afetos, não obstante os seus corações empedernidos na prática do mal, seriam degredados na face obscura do planeta terrestre; andariam desprezados na noite dos milênios da saudade e da amargura; reencarnariam no seio das raças ignorantes e primitivas, a lembrarem o paraíso perdido nos firmamentos distantes. Por muitos séculos não veriam a suave luz da Capela, mas trabalhariam na Terra acariciados por Jesus e confortados na sua imensa misericórdia.
Aquelas almas aflitas e atormentadas reencarnaram, proporcionalmente, nas regiões mais importantes, onde se haviam localizado as tribos e famílias primitivas, descendentes dos "primatas". Com a sua reencarnação no mundo terreno, estabeleciam-se fatores definitivos na história etnológica dos seres.
Um grande acontecimento se verificara no planeta.
É que, com essas entidades, nasceram no orbe os ascendentes das raças brancas. Ou “RAÇAS ADÂMICAS”.
Em sua maioria, estabeleceram-se na Ásia, de onde atravessaram o istmo de Suez para a África, na região do Egito, encaminhando-se igualmente para a longínqua Atlântida, de que várias regiões da América
guardam assinalados vestígios.
Não obstante as lições recebidas da palavra sábia e mansa do Cristo, os homens brancos olvidaram os seus sagrados compromissos.
Grande percentagem daqueles Espíritos rebeldes, com muitas exceções, só puderam voltar ao país da luz e da verdade depois de muitos séculos de sofrimentos expiatórios; outros, porém, infelizes e retrógrados, permanecem ainda HOJE, na Terra, nos dias que correm, contrariando a regra geral, em virtude do seu elevado passivo de débitos clamorosos.
As raças adâmicas guardavam vaga lembrança da sua situação pregressa, tecendo o hino sagrado das reminiscências.
As tradições do paraíso perdido passaram de gerações a gerações, até que ficassem arquivadas nas páginas da Bíblia sua imensa misericórdia.
Assim como aconteceu no sistema capela, acontecerá também no Orbe terrestre. A terra hoje e um mundo de expiação e de provas; mas está evoluindo para ser um mundo de Regeneração. Vivemos o momento da grande transição, em que os espíritos nobres reencarnarão no planeta terra a fim de apressar-lhe a evolução, enquanto os outros espíritos,aqueles que optaram pela perversidade e tornaram-se verdugos da sociedade, já não fruirão da mesma oportunidade, sendo transferidos para mundos inferiores onde realizarão o seu processo evolutivo.
E assim, a história do Paraíso Perdido se repete.

Chico Xavier. da Obra:" CAMINHOS DA LUZ"

"'ESFORÇO PESSOAL."

As grandes conquistas da Humanidade têm começo no esforço pessoal de cada um.
Disciplinando-se e vencendo a si mesmo, o homem consegue agigantar-se, logrando resultados expressivos e valiosos. Essas realizações, no entanto, têm início nele próprio.
É possível que não consigas descobrir novas terras, a fim de te tornares célebre. Todavia, poderás desvelar-te para o bem, fazendo-te elemento precioso no contexto social onde vives.
Certamente, não conseguirás solucionar o problema da fome na Terra. Não obstante, poderás atender a algum necessitado que defrontes, auxiliando a diminuir o problema geral.
Não terás como evitar os fenômenos sísmicos desastrosos que, periodicamente, abalam o planeta. Assim mesmo, dispões da oração, que envia a essas almas o amparo necessário para a amenização de suas dores.
De fato, não terás como impedir as enfermidades que ceifam as multidões que lhes tombam, indefesas, ao contágio avassalador. Apesar disso, tens condições de oferecer as terapias preventivas do otimismo, da coragem, da esperança.
As sucessivas ondas de alienação mental e suicídios, que desnorteiam a sociedade, não cessarão de imediato sob a ação da tua vontade. Mas, a tua paciência e bondade, a tua palavra de fé e de luz, conseguirão apaziguar aquele que as receba, oferecendo-lhe reajuste e renovação.
Naturalmente, o teu empenho máximo não irá alterar o rumo das leis da gravitação universal. Mas, se o desejares, contribuirás para o teu e o equilíbrio do teu próximo, em torno do sol de primeira grandeza que é Jesus.
Os problemas globais merecem respeito. Mas, os individuais, que se somam, produzindo volume, são possíveis de serem solucionados.
A inundação resulta da gota de água.
A avalanche se dá ante o deslocamento de pequenas partículas que se soltam.
A epidemia surge num vírus que venceu a imunização orgânica.
Desta forma, faze a tua parte, mínima que seja, e o mundo irá melhorar.
A sociedade, qual ocorre com o indivíduo, é o resultado de si mesma.
Reajustando-se o homem, melhora-se a comunidade.
Se teus sonhos almejam a felicidade plena no mundo, começa a busca de fazer felizes aqueles que se encontram ao teu redor.
Se teus desejos de paz são sinceros, busca a paz interior da consciência tranquila, e transmite paz àqueles que te cercam.
Se vês no futuro o amor reinante no planeta, principia amando intensamente tua família.
A escuridão não mais existe, quando na presença de uma minúscula faísca.
O sofrimento pensa em desaparecer, quando envolvido por uma leve brisa de esperança.
A chuva cinza decompõe-se em cores, quando recebe os raios do sol.
A raiva tem saudade da doçura, quando é abraçada com carinho.
A escuridão, o sofrimento, a chuva, a raiva: todos eles passam.
Pensa nisso.
Autor: Momento Espírita

"O ERRO"

Quem é que nunca fez nada de errado?
Naturalmente, todos nós, algumas vezes na vida, cometemos erros, seja intencionalmente ou não.
O erro faz parte do aprendizado.
Por trás de todo erro está a ignorância, o orgulho, ou o egoísmo.
O ignorante erra por desconhecer, o orgulhoso por se julgar mais importante do que as demais pessoas e o egoísta por pensar somente em si.
O que caracteriza o erro não são os padrões sociais ou as diretrizes éticas estabelecidas, mas sim suas conseqüências sobre o indivíduo e a sociedade.
O que torna algum gesto desacertado são os seus efeitos malignos.
Erramos quando nossos atos ferem alguém. Quando invadimos o direito à felicidade do próximo. Quando destruímos, ao invés de construir.
Numa palavra, erramos sempre que geramos sofrimento para os outros ou para nós mesmos.
Por estar vinculado ao sofrimento, vemos que o erro não é um bom negócio.
Entretanto, se formos sábios, saberemos tirar frutos dele.
De uma forma muito especial, Deus sempre cuida para que, dos nossos equívocos, tiremos algo de bom.
Isto acontece por meio da Lei de Causa e Efeito, que faz com que todo o bem, como todo o mal realizado retorne ao seu realizador.
No campo dos sofrimentos isto se chama expiação.
Mas para tornar o processo menos penoso, podemos recorrer ao arrependimento e à reparação.
Arrepender-se é, portanto, o primeiro passo na correção de um desatino.
Existem pessoas que só se arrependem dos seus erros quando estão colhendo as conseqüências.
Quanto mais demoramos a nos arrepender, mais sofremos.
O arrependimento deve provocar um desejo de reparação, que consiste em fazer o bem a quem se havia feito mal.
Mas nem todas as faltas implicam em prejuízos diretos e efetivos.
Quer dizer, nem sempre teremos de expiar, ou sofrer.
Nesses casos, a reparação se opera fazendo-se o que deveria e foi negligenciado. Cumprindo deveres desprezados, missões não preenchidas.
Quem tem sido orgulhoso, buscará tornar-se humilde. O rude procurará ser amável. O ocioso passará a ser útil e o egoísta, caridoso.
Costuma-se dizer que errar é humano.
Nós poderíamos inverter o raciocínio dizendo que corrigir erros é que é humano, pois o homem não pode desprezar a sua fantástica capacidade de racionalização ao persistir em atitudes que somente o infelicitam.
Reconhece-se, então, o homem de bem pela capacidade com que ele substitui seus defeitos por virtudes superiores.           
Os efeitos dos nossos atos se estendem, muitas vezes, para além da existência atual.
Isso explica os sofrimentos atuais, cujas causas não se encontram no presente.
Várias vezes estamos recebendo hoje os efeitos de nossos atos de vidas passadas.
Nenhum Espírito atinge a perfeição, sem antes reparar os erros do seu caminho evolutivo.
Por isso, hoje é o dia de fazer o melhor!
Redação do Momento Espírita






"AS SETE LEIS DA ESPIRITUALIDADE"

As sete leis  da Espiritualidade nos ensina como podemos descobrir a realização espiritual e material através de mudanças de comportamento e autoconhecimento

 1-Lei da Potencialidade Pura:
Se apoia no fato de que somos, essencialmente, consciência pura, do silêncio infinito, equilíbrio perfeito, invencibilidade, simplicidade e felicidade.
Esse é o campo de todas as possibilidades e da criatividade infinita.
A experiência do Eu chama-se auto-referência, e nosso ponto de referência interior é o espírito (alma, Eu superior, divindade). Seu oposto é o objeto referência, cujo ponto de referência interior é o ego.
No objeto referência, todas essas situações – necessidade de aprovação, poder externo, controle das coisas – estão baseadas no medo.
O poder baseado no ego, mesmo que você seja o presidente de uma empresa ou de uma nação, deixa de existir ao término dessas situações. O poder desaparece junto com o poder, o título e o cargo.
No conhecimento do Eu você atrai não só as coisas que você deseja como as pessoas que lhe interessam. É o poder do vínculo originado no verdadeiro amor.
Exercício: Entregar-se diariamente a momentos de silêncio, praticar a meditação, evitar julgamentos, viver em contato com a natureza, e as outra maneira de ter acesso às qualidades inerentes a esse campo, são através da: infinita criatividade;  liberdade; e felicidade.
Silêncio – fazendo o compromisso de não falar por um período de tempo, diariamente.
Meditar – pelo menos 30 minutos de manhã e a noite.
Não-julgamento – se você estiver constantemente avaliando situações como boas ou ruins, classificando, rotulando, analisando; você diminui o “espaço vazio” entre os pensamentos, e é por intermédio deste espaço vazio que nos ligamos ao campo da potencialidade pura.

2 – Lei da Doação
Também chamada de “lei do dar e receber”, porque o universo opera por meio de trocas dinâmicas – nada é estático.
Como as águas de um rio, o dinheiro tem de fluir para não estagnar e sufocar sua força vital. A circulação o mantém saudável e energizado. Da mesma forma, todo relacionamento depende de dar e receber.
O mais importante é a intenção que há por trás, que deve ser sempre de proporcionar alegria a quem dá e a quem recebe, porque a felicidade é sustentadora e provedora de vida. E o retorno é diretamente proporcional ao volume doado.
Nossa verdadeira natureza é composta de riqueza e abundância.
Nunca deixe de levar um presente quando for visitar alguém, seja uma flor ou um bilhete. Você estará assim desencadeando o processo de circulação de energia – alegria, riqueza e abundância – em sua vida e na da outra pessoa.
Receba agradecido as dádivas que a vida oferece (o sol, o canto dos pássaros, as flores, a neve do inverno, as chuvas de verão). Esteja sempre aberto para receber dos outros – seja um bem material, dinheiro, cumprimento, seja uma oração.
Assuma o compromisso de manter a riqueza circulando em sua vida. Quando você encontrar alguém, ofereça uma benção silenciosa, deseje felicidade, contentamento, alegrias. Presentes silenciosos são poderosos!

3 – Lei do Carma ou da Causa e Efeito
Quer você goste ou não, tudo que está acontecendo em sua vida agora é resultado de suas escolhas.Infelizmente, muitos fazem escolhas inconscientes e, por isso, acham que não são escolhas. Mas são.
Se alguém o insulta, é provável que você escolha se ofender. Se te elogiam, é provável que se sinta envaidecido. Pense bem: é sempre uma escolha.
Se você parar para observar suas escolhas no momento que elas ocorrem, mudará o aspecto de inconsciência para o da consciência. Esse procedimento é enriquecedor.
Ao fazer uma escolha, faça a si duas perguntas: “Quais serão as conseqüências das escolhas que estou fazendo?”; “Essa escolha trará felicidade a mim e aos outros ao meu redor?”
A responda da primeira você sentirá no seu coração e saberá imediatamente as conseqüências. A resposta da segunda, se for sim, persista. Se for não, desista. Observe sempre a mensagem de conforto e desconforto no corpo ao fazer a primeira pergunta.
Em relação aos carmas passados, existem três opções a seguir:
Pagar seus débitos, o que a maioria faz. As vezes há muito sofrimento mas a lei do carma é bem clara e diz que: nada do que se deve ao universo fica sem pagamento.
Transmutar – que é transformar seu carma numa experiência mais agradável. Perguntar-se: “O que estou aprendendo com essa situação? Por que isso esta acontecendo? Qual a mensagem que o universo esta me transmitindo? Como posso tornar útil esta experiência para meus semelhantes?” Ao fazer isso você enxerga a semente da oportunidade que é o seu darma, seu propósito de vida.
Transcendê-lo – entrar em contato com seu íntimo através da meditação. Como lavar a roupa suja num riacho. Cada vez que mergulha a roupa na água elimina manchas.

4 – Lei do Mínimo Esforço
Existem três componentes que você pode fazer para por em pratica o principio do “faça pouco e realize muito”.
Aceitação – Assumir o compromisso de aceitar as pessoas, situações, circunstâncias e fatos, da maneira como se apresentam. Entender que este momento é como deve ser, porque todo o universo é como deve ser.
Lei do mínimo esforço: a responsabilidade. Não culpar alguém ou alguma coisa por uma situação, muito menos a si mesmo. A responsabilidade passa a ser a resposta criativa para aquela situação. A consciência disso permite transformar esse momento em algo melhor. Toda situação inoportuna contém em si uma oportunidade para criação de algo novo e belo. As pessoas chatas se transformam em seus mestres.
Indefensibilidade – Assentar sua percepção sem a necessidade de se defender. Desarmar seu espírito, abrir mão da necessidade de convencer, persuadir os outros de seus pontos de vista. Se você permanece aberto a todos os pontos de vista – sem se prender rigidamente a nenhum deles – seus sonhos e desejos fluirão com os desejos da natureza.
5 – Lei da Intenção e do Desejo
A mudança consciente acontece através da atenção e da intenção. A atenção energiza, a intenção transforma.
A intenção é o poder que move o desejo. Ela por si só é muito poderosa pois é o desejo desvinculado do resultado.
Aceite o presente como ele é e pretenda o futuro.
Tanto passado quanto futuro são frutos da imaginação. Somente o presente é consciência, eterno, real.
Fazer uma lista de todos os seus anseios e desejos. Carregar com você, ler ao amanhecer e antes de dormir. Olhar para ela antes de entrar em silêncio e meditação.
Liberar a lista dos desejos e soltar no ventre da criação. Confiar sem se ater ao resultado. Se as coisas não saírem como deseja, há uma razão para isso.
Lembrar de praticar a consciência do momento presente em todas as suas ações. Não permitir que os obstáculos dissipem a qualidade da atenção no momento presente. Aceitando o presente como ele é, o futuro se manifestará nas intenções e nos desejos mais caros e profundos.

6 – Lei do distanciamento
A verdadeira consciência e a habilidade de ter tudo que deseja sem o mínimo esforço. Aqueles que buscam segurança perseguem-na por toda a vida e nunca encontram. Ela  é ilusória, pois a segurança nunca pode vir só do dinheiro. Apego ao dinheiro causa insegurança. De fato, as pessoas que tem mais dinheiro são as mais inseguras.
Busca de segurança e de certeza é apego ao conhecido. Conhecido é o nosso passado. A incerteza, por sua vez, é terreno fértil para criatividade e liberdade.
Todo problema deve ser visto como uma oportunidade de um benefício maior. Ficar alerta para oportunidades, a solução surge espontaneamente.
Dar a si próprio e aos outros a liberdade de serem o que é. Evitar imposições rígidas de suas idéias de como as coisas devem ser. Não forçar soluções de problemas, criando assim, novos problemas. Participar de tudo com envolvimento distanciado.
Transformar a incerteza em um ingrediente essencial. Aceitando a incerteza, soluções emergirão espontaneamente do próprio problema, da própria confusão, desordem, caos. Quanto mais incertas as coisas, mais seguro você deve se sentir. Por meio da sabedoria da incerteza encontra-se segurança.
Entrar no campo das possibilidades antecipando a excitação. Dirija sua atenção para a incerteza enquanto espera a solução emergir do caos e da confusão, o que aparecer será fabuloso e excitante. Agindo assim, experimentará toda diversão, magia, mistério, aventura da vida.

7 – Lei do darma
Apresenta três componentes:
Procurar seu Eu superior, o Eu e espiritual. Precisamos descobrir por nós mesmos em nosso interior um embrião de deus ou deusa, desejo de nascer e expressar sua divindade e nutrir amavelmente essa divindade do fundo de sua alma. Atentar-se ao espirito que anima seu corpo e sua mente.
Descobrir seus talentos únicos. Devemos expressar nosso talento singular. A lei do darma diz que todo ser humano tem um talento único, algo que você faz melhor que todo mundo e que quando está fazendo essa coisa, perde a noção do tempo, penetra na consciência atemporal. Elaborar uma lista de talentos únicos e outra das atividades que adora realizar quando está expressando esses talentos.
Servir melhor a humanidade – “Como posso ajudar a todos?” Quando você combina a capacidade de expressar seu talento único com beneficio a humanidade – com amor –, está fazendo pleno uso da lei do darma. Agindo assim, e, somando a experiência de sua própria espiritualidade, o campo da potencialidade pura, não há meios de você não ter acesso a abundancia ilimitada.