Vinhas de Luz

Vinhas de Luz

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

“A CURA DO CORPO NÃO É TÃO IMPORTANTE PARA A VIDA DO ESPÍRITO”

 A cura do corpo não é tão importante para a vida do espírito como acreditamos ser importante para a vida encarnada.
Ver alguém sofrer, principalmente se for próximo, dá uma "dor no coração". Talvez o corpo da pessoa que sofre não vá aguentar e aí chega-se ao fim da encarnação. Mais uma encarnação entre as muitas centenas que o espírito já teve. Mais uma morte entre os milhares que este espírito teve ou terá. A vida do espírito é tão longa que sofrimentos duradouros para o corpo se tornam "minutos" frente à imensidão da vida espiritual.
Tente lembrar do dia em que você, aos 4 anos de idade, levou um tombo e chorou muito. Provavelmente não se lembrará, porque é algo insignificante em sua vida atual. Mas, o aprendizado de andar corretamente está presente até hoje, evitando muitos tombos.
Lembre-se das brigas que teve por motivos que hoje considera ridículos. Hoje você percebe o quanto a imaturidade emocional e a falta de sabedoria podem gerar ou ampliar o sofrimento. Se você aprendeu a lição, muitas brigas serão evitadas. Se não aprendeu, muitas brigas por motivos ridículos ainda acontecerão.
As dificuldades tornam-se sofrimentos internos quando há falta de sabedoria e/ou imaturidade. Se alguém te trata mal, mas você sabe manter sua mente neutra e serena, o sofrimento será pouco ou nem existirá.
Todo sofrimento é a conjugação de um evento com a reação da pessoa a este evento. Se há aflição ou revolta, o sofrimento é maior do que se há paz e aceitação. Se há ódio ou medo, o sofrimento aumenta; se há disposição para enfrentar (coragem) e fé, o sofrimento diminui.
Neste sentido, a evolução espiritual, a mente neutra e madura, é a melhor forma de combater o sofrimento. E o melhor, é o aprendizado que te permite enfrentar todas as adversidades com maior capacidade de solução.
A doença faz parte da organização da vida e é uma das formas do Universo se manter em constante transformação. A constante transformação da vida é um convite e um incentivo para as pessoas não se acomodarem e continuarem a desenvolver sabedoria.
É muito mais importante a sabedoria do que a segurança. Com a sabedoria a pessoa está preparada para enfrentar toda e qualquer novidade que apareça na vida. Novidades boas ou ruins necessitam adaptação e preparo para ter o melhor aproveitamento.
É certo que um dia doença aparece na vida da pessoa. Seja através de um familiar doente, seja através de seu próprio corpo que se transforma. Doença gera sofrimento? Sim, principalmente quando a pessoa não se preparou através da evolução espiritual e do ganho de sabedoria.
Suponhamos que o obstáculo da doença seja superado e o corpo voltou a ficar sadio. Dez anos depois o corpo adoeceu gravemente, novamente. O sofrimento vai acontecer de novo e na mesma intensidade? Depende! Se houve aprendizado e amadurecimento o sofrimento será menor.
Agora, imagine um novo corpo, 500 anos depois. O mesmo espírito em um novo corpo. E volta a doença. Com sabedoria não haverá sofrimento ou haverá muito pouco.  É a sabedoria desenvolvida que é importante para a vida do espírito, e não a cura do corpo. É a evolução espiritual que permanece e propicia os recursos para lidar com adversidades em centenas de encarnações. 
No livro Nascer Várias Vezes eu relato várias histórias nas quais a evolução espiritual foi muito importante para a superação, com menos sofrimento, de conflitos e outras adversidades (1).
Observe: “Ao nascer novamente como Julia, o espírito da criança já demonstrava algumas características que havia conquistado em uma das encarnações anteriores. O desfrute da condição de disciplina, perseverança e gratidão continuava a produzir efeitos em outra encarnação. Este é um fato muito comum, todos temos  grandes vantagens por havermos desenvolvido qualidades em outros momentos da vida do espírito. Apenas não prestamos atenção e não ligamos fatores positivos atuais a qualidades anteriormente desenvolvidas.” (pág. 63, do livro Nascer Várias Vezes)
Tenha paz frente ao seu próprio sofrimento, frente à sua doença e à sua dor. Foque em evoluir, pois é assim que usufruirá das benesses do amadurecimento espiritual. As vantagens são claras: menos sofrimento no momento em que o corpo sofre (pois o sofrimento pode ser ampliado pela "mente") e mais facilidades no plano espiritual.
Tenha paz frente ao sofrimento de seu ente querido. Busque a melhora do corpo, mas jamais se esqueça de ensiná-lo a verdade do espírito. Jamais se esqueça de vivenciar as pulsões da espiritualidade. Pois o mundo espiritual é para ser vivenciado e experimentado aqui e agora. O sofrimento diminui, a consciência amplia e a evolução acontece.
A vida do espírito é muito longa. Exige bastante luta, por isto desenvolver sabedoria é fundamental para ter paz e força. Uma das maiores sabedorias é a aceitação. Sem aceitação o que existe é uma briga interna que desgasta e gera atitudes irracionais e irrelevantes. Ou seja, com briga e atitudes ineficientes o aprendizado é muito pequeno. Aprendizado pequeno significa maior sofrimento e sofrimento mais duradouro.
Aceitar a doença e eventual não cura, é clarear a mente para viver mais intensamente a verdade do espírito. A pessoa pode e deve procurar os recursos terapêuticos, mas deve entender que não é a cura que serve para a vida do espírito. O que serve e dura por milênios são os aprendizados e as sabedorias. São estas sabedorias que te preparam para enfrentar toda e qualquer adversidade futura, por milênios.
Para o espírito, portanto, a cura do corpo é um pequeno prêmio. O grande prêmio é a abertura para a evolução espiritual.
Cinco mil anos depois, a cura do corpo naquela encarnação longínqua é algo muito pequena e insignificante. Mas, os ganhos de sabedoria e a mente clara serão sempre a certeza de que é a evolução espiritual que traz os ganhos mais importantes e duradouros.
Enfim, quem evolui vive melhor e torna as dificuldades menos desgastantes.
Trecho do livro Nascer Várias Vezes

Autor: Regis Mesquita