Vinhas de Luz

Vinhas de Luz

sábado, 11 de março de 2017

"A LEI DO RETORNO É INFALÍVEL"

Pode demorar, mas sempre receberemos na medida exata do que oferecemos. Nada mais, nada menos do que isso.
Não raro, costumamos achar que vimos sendo tratados injustamente ou de forma desagradável pelas pessoas que nos rodeiam. É como se estivéssemos recebendo muito menos do que verdadeiramente queremos ou pensamos que merecemos. Assim, passamos a colocar a culpa do que nos ocorre tão somente nas pessoas e no mundo lá fora, o que nos impede de nos enxergarmos como sujeitos de nossas histórias, uma vez que, nessa ótica, seríamos meros joguetes nas mãos dos outros.
E, assim, vamos passando os dias lamentando as supostas injustiças que nos vão sendo impostas, recheando nossas amarguras com os tratamentos que julgamos descabidos por parte das pessoas que convivem conosco, sentindo-nos mal amados, mal interpretados, mal vistos e desvalorizados. Afinal, ninguém parece nos entender ou perceber os potenciais que possuímos, como se estivéssemos sendo subutilizados em todos os setores de nossas vidas.
Por essa razão é que jamais poderemos fugir ao enfrentamento de nós mesmos, analisando racionalmente o que estamos oferecendo, como estamos nos comportando, enxergando a nós mesmos, na forma como estamos tratando as pessoas, nas palavras que usamos, no tom de voz que colocamos, no olhar que dirigimos ao mundo lá fora. Muitas vezes, apenas estamos recebendo de volta exatamente o que oferecemos, nada mais nem menos do que isso.
Caso consigamos perceber a forma como as pessoas vêm nos enxergando, o que o mundo vem recebendo de nós, muito provavelmente entenderemos várias coisas que nos acontecem, tendo a consciência de que o que nos chega não é injusto e sim retorno de mesma medida. Muitas vezes, estaremos ofertando é nada, tratando mal as pessoas, ignorando-as e menosprezando-as, fechando-nos aos encontros, a tudo o que está fora de nós. Como é que poderão enxergar algo que não demonstramos? Como é que nos enxergarão, caso nos fechemos aqui dentro?
Embora exista quem não consiga fazer outra coisa que não azucrinar a vida de quem quer que seja, muitas pessoas com quem conviveremos estarão abertas a receber o nosso melhor e a fazer bom uso de tudo o que oferecemos, valorizando-nos e tratando-nos com o devido respeito. É preciso, portanto, que nos permitamos o compartilhamento transparente de nossas verdades, para que elas nos tragam o retorno afetivo que nos enriquecerá a vida onde e com quem estivermos. Porque merecemos, sempre, o que oferecemos.
Fonte: O Segredo

Autor: MARCEL CAMARGO

“O QUE SIGNIFICA SONHAR COM ESPÍRITOS? ”

Na infância, eu sonhava com espíritos seguidas vezes e sentia muito medo daquilo. Para mim, também era frequente sonhar que estava voando ou flutuando e mais tarde fui entender que esse era outro padrão de sonho.
Embora minha mãe e meu pai fossem bastante esclarecidos espiritualmente, eu sofria muito com aqueles sonhos, porque eu tinha medo. Vivíamos numa comunidade em que quando alguém falava a palavra “espírito”, as pessoas ficavam com medo.
Somos educados pela sociedade a ter medo de espírito, enquanto isso eles estão entre nós, naturalmente.
Será que você já sonhou com espíritos? Ou conhece quem sonha com espíritos? É sobre isso que vamos falar.
Existem 3 padrões básicos de sonhos
1. Burburinho psíquico:
É o tipo de sonho que você tem quando dorme sem fazer uma higiene mental. Então, ele condensa desordenadamente resquícios acumulados de todas as informações que você teve durante o dia.
Por isso, é muito importante aprender a se limpar psiquicamente, porque se você não se preparar para dormir, você entra nesse padrão de sonhos que, sinceramente, eu sou muito radical com relação ao significado deles, pois não dá para aproveitar nada.
2. Recordações de vidas passadas:
São sonhos repetitivos, onde a história é sempre a mesma.
Geralmente, você está fugindo de alguém ou alguém está morrendo, estão matando você ou estão lhe abandonando, podem mudar os cenários, mas a sensação e o sofrimento são iguais.
Ao adormecer, o seu corpo dorme, mas a sua alma acorda, com isso o seu inconsciente libera fragmentos de informações de vidas passadas. E é muito comum eclodirem de você coisas ruins, pois é o seu inconsciente gritando o que está em desequilíbrio, trazendo à tona as questões para que possam ser ajustadas.
As coisas boas que você viveu em vidas anteriores raramente aparecem, porque elas não precisam de ajuste, estão em equilíbrio.
Nos próximos vídeos, vou disponibilizar técnicas para você limpar traumas de vidas passadas durante o sono.
Esta prática exige certo aprofundamento, mas eu vou ensinar para você algumas práticas que ministro no curso avançado e que fazem a diferença.
Recomendo que você faça uma higiene psíquica todos os dias antes de dormir com ancoragens e afirmações, assim você já vai começando a tratar destas questões para este tipo de sonho ir desaparecendo.
3. Projeção Astral:
O sonho, que está relacionado à questão de sonhar com espíritos, é o que nós chamamos de “viagem astral” ou “projeção astral”. De acordo com as mais diversas civilizações e costumes, a projeção astral pode ainda assumir nomes como “emancipação da consciência”, “sonho lúcido” ou “saída do corpo”.
Enquanto o seu corpo dorme, a sua alma acorda e se projeta para fora do corpo físico. A projeção astral é a saída do corpo para a dimensão espiritual, pois sua alma é um espírito.
E à medida que a capacidade moral, extrafísica, psíquica e a capacidade bioenergética da pessoa vai se tornando melhor qualificada, mais aumenta sua capacidade de realizar a viagem astral, exatamente como ao praticar exercícios físicos melhoramos o desempenho e a disponibilidade da musculatura corporal.
Você não “é” o seu corpo, você “está” no seu corpo. Cada um de nós é sua própria alma ou seu “corpo de luz”, como dizia Paulo de Tarso.
Deste modo, quando o corpo morrer, a essência vai continuar. Entretanto, essas mini mortes acontecem todas as noites, a única diferença é que a gente sai do corpo e volta, porque nós estamos magneticamente presos a ele.
Mas em algum instante a gente vai sair do corpo e não vai voltar mais, a isso damos o nome de “morte”. Só que a morte não é o fim. A morte, na verdade, é apenas um estágio.
A experiência da projeção astral durante o sono do seu corpo físico, permite que você tenha consciência da entrada do seu corpo de luz na dimensão espiritual, e assim afinizado sob a mesma forma corpórea que os espíritos, entre em contato com eles. É por isso que muita gente sonha com espíritos.
O que significa sonhar com espíritos?
É importante que fique claro que, como vimos anteriormente, quando você sonha com espíritos, significa que durante o sono sua alma saiu do corpo físico e adentrou a atmosfera espiritual.
Se os espíritos visualizados em sonho forem de luz, significa que você está vibrando numa frequência de luz.
Caso os espíritos não estejam na luz e apresentem sofrimento, maledicência ou malvadeza, entretanto você se vê no sonho acompanhado de seres de luz, significa que você juntamente com os amparadores espirituais que te protegem estão prestando ajuda a essas almas.
Se forem espíritos malignos querendo lhe atacar e você se vê sem o auxílio dos seres de luz protetores, pode significar que você não está se preparando bem para dormir.
E isso acontece com todo mundo, só que alguns lembram e outros não.
Por este motivo é tão valiosa a higiene psíquica na preparação para o sono e ter hábitos mais sadios, por exemplo, evitando de ir dormir intoxicado por bebida alcoólica.
Nos sonhos com espíritos de luz ou com parentes desencarnados há uma mensagem.
Se esses parentes estiverem com boa aparência e felizes, significa que eles estão bem.
Se estiverem tristes, significa que estão inspirando cuidados. Então, envie emanações de luz, de amor e de fraternidade para a alma destes parentes falecidos.
Importante
A projeção astral é uma capacidade do ser humano, tal como aprender a falar, aprender a andar ou aprender outro idioma, é um desenvolvimento parapsíquico inerente à consciência que todos temos em maior ou menor grau.
Alguns já nascem com isso pronto e outros vão se desenvolvendo, independentemente da sua religião, crença ou de qualquer outro fator.
Este assunto é profundo e vasto, por isso vamos seguir conversando sobre este tema. Estou elaborando os próximos vídeos com muito mais informações e dicas num mini treinamento com técnicas inovadoras, para que você também possa otimizar as faculdades do seu espírito durante o sono criando dias melhores e ainda mais felizes em sua vida.

Fonte: O Segredo

"PISTOLEIROS DO ALÉM"

Em bairro distante, na confluência de duas ruas, moram quatro famílias, uma em cada esquina. O morador de uma das casas sai certa manhã e depara com vela acesa e uma garrafa de aguardente.
– Ah! Esse povo não tem mais o que inventar em suas práticas religiosas. É coisa de brasileiro mesmo! – comenta com seus botões.
Despreocupado, toma seu automóvel e segue para o trabalho.
Sai o segundo morador. Vê os objetos e arrepia-se:
– Meu Deus! Um despacho! Alguém querendo prejudicar-me!
Afasta-se rapidamente a benzer-se, sem afastar de seu coração a angústia e o medo, que o perseguirão pelo resto do dia, culminando com palpitações e incômodas dores no peito.
O terceiro morador olha desconfiado para o “despacho”. Retorna à residência. Vai ao quarto dos fundos, põe a queimar incenso e repete várias vezes uma reza. Depois, mais tranquilo, parte para a atividade profissional.
O quarto morador, tão apavorado quanto o segundo, decide ausentar-se para evitar problemas. Ante a esposa surpresa, proclama que anteciparão o fim de semana, efetuando protelado passeio. Em poucos minutos improvisam a saída rápida.
À noite, longe dali, um devoto agradece ao seu protetor espiritual a dádiva recebida. Conseguira o emprego desejado, após cumprir fielmente a instrução de deixar uma garrafa de pinga com vela acesa numa encruzilhada.
O despacho não fazia parte de nenhum sortilégio para prejudicar os moradores, mas cada um reagiu segundo suas concepções:
O primeiro, racionalmente, considerou que não significava nada para ele, permanecendo impassível. O segundo desequilibrou-se pelo medo. Ficou até doente e ninguém lhe tiraria da cabeça a ideia de que fora vítima de um mal encomendado. O terceiro, por segurança, preveniu-se com práticas ritualísticas. O quarto, apavorado, assumiu uma postura de fuga.
A história demonstra que nossa maneira de ser, de encarar os acontecimentos, de reagir em face das circunstâncias, tem uma influência decisiva em nossa estabilidade física e psíquica.
Somos o que pensamos. Pessoas que cultivam superstições, medos, fobias, que se apavoram pela perspectiva de sofrerem influências espirituais, fatalmente envolvem-se em desajustes e perturbações. Com muita facilidade julgam-se vítimas de perseguições e males inexistentes.
Se desejamos estabilidade íntima, equilíbrio interior, é preciso que nos habituemos a encarar os acontecimentos de forma objetiva e racional, sem nos deixarmos imbuir de fantasias.
Naturalmente há algumas indagações a respeito:
– E se a vela e a pinga representassem uma espécie de indução para atrair Espíritos com a tarefa de perseguir um dos moradores da casa? Existe essa possibilidade? O que aconteceria?
Poderíamos responder com outra pergunta:
– É possível contratar um pistoleiro para atirar em alguém?
A resposta, evidentemente, é afirmativa. Ora, se há aqueles que se dispõem a ser instrumentos do mal na Terra, o mesmo ocorre na Espiritualidade. E nem é preciso procurar um intermediário, um médium para a contratação. Basta que tenhamos ódio de alguém, que lhe desejemos alguma desgraça e não será difícil atrair Espíritos dispostos a colaborar conosco, autênticos pistoleiros do Além, que usarão as balas da discórdia, do desentendimento, do vício, da aflição, do desajuste, para ferir nossos desafetos.
O problema é que se nos envolvermos com eles não poderemos dispensá-los depois, porquanto o preço que cobram é muito alto: o domínio sobre nossa vida, explorando-nos as mazelas. É como se vendêssemos a alma ao diabo.
Naturalmente trata-se de uma imagem mitológica, porquanto o diabo, como força que se contrapõe eternamente a Deus, não existe. Diabos somos todos nós, quando nos transviamos do Bem, quando cultivamos o mal, habilitando-nos a sofrimentos mil, porque é assim que o Criador transforma os diabos em anjos.
Ainda que existam os pistoleiros do Além, tacitamente contratados por alguém que gostaria de nos ver sofrendo, é preciso lembrar um sugestivo ditado popular: Praga de urubu não mata cavalo gordo.
As influências nocivas nos atingem apenas na medida em que não tenhamos defesas espirituais formadas por um comportamento equilibrado e virtuoso.
Há um detalhe fundamental: os Espíritos inferiores não produzem o mal em nós. APENAS FOMENTAM O MAL QUE EXISTE!
Os sortilégios das sombras não geram o adultério. Simplesmente exploram, num dos cônjuges, a tendência à infidelidade.
Nenhum perseguidor espiritual precipitará na angústia um coração sintonizado com o otimismo e a alegria de viver.
Ninguém nos incompatibilizará com o semelhante se cultivarmos a compreensão e a tolerância.
Muitos desejam o chamado corpo fechado, tentando sobrepor-se a atentados à sua integridade física e espiritual com práticas ritualísticas, como quem pretende trancar-se numa fortaleza. Pode até funcionar, embora precariamente, na medida em que o interessado acredite nisso, apoiando-se em sua convicção.
Ressalte-se, todavia, que tais recursos configuram mero escoramento para uma casa mal construída, mal conservada, erguida em solo instável.
A melhor maneira de nos sobrepormos à influência do mal será sempre o empenho por eliminá-lo de nós mesmos, como se nos abrigássemos numa construção nova, mais sólida, resistente às intempéries - aquela casa a que se referia Jesus, edificada na rocha inabalável de seus ensinamentos.

RICHARD SIMONETTI