Vinhas de Luz

Vinhas de Luz

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

"NASCER...MORRER...RENASCER NOVAMENTE...ESTA É A LEI"

Todas as religiões inclusive o espiritismo acreditam na existência de um único Deus. Um ser que não teve principio nem terá fim. Criador de tudo que existe no Universo. Material ou imaterial. Visível ou invisível.

Um ser infinitamente sábio, justo, bom e misericordioso.
Porém as religiões afirmam que existe um Céu e um inferno. Lugares destinados as almas quando deixam este mundo. Quem foi bom, gozará eternamente as delicias do Céu ou paraíso. Quem foi mau queimará eternamente nas labaredas do Inferno.
O Espiritismo não nega a existência do Céu ou inferno, mas não concorda com a forma como as religiões ensinam. Vejamos:
Se tudo que existe é obra de Deus, então o inferno também é obra dele, de outra forma Deus não seria único. Um Deus bom. Um Deus de amor não poderia ter criado um lugar tão ruim assim. E mais. Se após a morte vamos viver eternamente em algum lugar é porque somos eterno. Aí eu pergunto: “ O QUE É A VIDA DIANTE DA ETERNIDADE”????. Alguns segundos talvez? 50, 100 anos não significam nada diante da eternidade.
Lógico que não podemos mandar para o Céu alguém que cometeu graves desvios de conduta durante sua vida terrena. Mas também não é justo castiga-lo para toda a eternidade por alguns segundos de bobeira, alguns segundos de imprevidência em razão da ignorância humana. Logo concluímos que Céu e inferno não são lugares definitivos, mas sim; transitórios. Se assim fosse; Deus não seria justo. Pois quando nos criou sabia exatamente como seria nossa vida na terra. Pois ele conhece o nosso passado, presente e futuro; de outra forma não seria infinitamente sábio. Sabia que se nos desse o livre arbítrio poderíamos nos perdes nos caminhos da vida. Mesmo assim ele não fez nada para impedir. Deixou que nos afastássemos dele para depois nos mandar para o inferno para sempre.
Este não me parece um Deus justo e misericordioso.
Mas as religiões contestam! A palavra de Deus está aí para todos. Quem não segue a palavra de Deus merece mesmo ser castigado.
Se assim fosse, Deus seria um ditador. Ou você me obedece ou será castigado! Ou está do meu lado ou está contra mim.
Jesus disse a Pedro que deveríamos perdoar setenta vezes sete. E disse também: “O bom pastor conhece suas ovelhas e nenhuma das minhas ovelhas se perderão”.
Quer dizer: Deus também nos perdoará e nos dará tantas quantas forem as oportunidades para nos redimir. Não fomos criados para sermos eternamente maus, nem predestinados a sofrer eternamente.
Por mais turrão, por mais teimoso que seja o doente, um dia ele percebe que se não tomar remédio, se não procurar a cura poderá morrer; assim também um dia sentiremos necessidade de melhorarmos, de evoluirmos espiritualmente. Se não melhorarmos por amor...melhoraremos pela dor. E quando o arrependimento nos tocar... bater à nossa porta...quando sentirmos o firme propósito de mudança...onde quer que estejamos...”inferno ...purgatório...umbral..”.seremos arrebatados pelos anjos de Deus; espíritos de luz que nos levarão para planos intermediário, onde seremos tratados e preparados para uma nova encarrnação; pois é na matéria que vamos saldar os débitos passados para podermos evoluir e um dia alcançarmos o Céu.
Mas o Céu também pode não ser um lugar definitivo.
Embora os santos, os espíritos de luz não tenham mais necessidades de se encanarem, nem sempre é isto que acontece.
Nas nossas várias encarnações, tivemos pai...mãe...filhos...irmãos...fizemos vários amigos; e se um dia conseguirmos evoluir e nos tornamos santos, não quer dizer que estes espíritos a quem aprendemos a amar também conseguirão.Muitos ficaram para traz...não conseguiram acompanhar a nossa evolução.
Assim, não nos sentiríamos felizes no céu vendo estes nossos irmãos sofrendo aqui no planeta ou perambulando pelo Umbral.
Com certeza pediremos ao Pai uma nova oportunidade. Uma oportunidade de reencarnar novamente entre estes espíritos queridos para ajuda-los a evoluir espiritualmente.
É por isso que de vez em quando aparecem um..São Francisco de Assis...Uma sta Rita de Cássia. Uma madre Tereza de Calcutá...uma irmã Dulce...um Chico Xavier... outro dia um programa de televisão mostrou uma viúva já de certa idade que tem 25 filhos adotivos. Trata todos com igual carinho, só com ajuda da comunidade. Não recebe nenhuma ajuda governamental. Porque será que ela faz isso?
CRISTO, nosso irmão maior, nosso mestre; apiedando-se da nossa ignorância, fez-se humano e se encarnou entre nós. Sofreu todas as dores possíveis. Após cruxificado e morto apareceu para os seus amigos com o seu corpo intacto. Quis mostrar a eles que a vida não termina na sepultura...vai muito além da noite do tumulo.
“NASCER...MORRER...RENASCER NOVAMENTE...ESTA É A LEI”

"NASCER...MORRER...RENASCER NOVAMENTE...ESTA É A LEI"

Todas as religiões inclusive o espiritismo acreditam na existência de um único Deus. Um ser que não teve principio nem terá fim. Criador de tudo que existe no Universo. Material ou imaterial. Visível ou invisível.

Um ser infinitamente sábio, justo, bom e misericordioso.
Porém as religiões afirmam que existe um Céu e um inferno. Lugares destinados as almas quando deixam este mundo. Quem foi bom, gozará eternamente as delicias do Céu ou paraíso. Quem foi mau queimará eternamente nas labaredas do Inferno.
O Espiritismo não nega a existência do Céu ou inferno, mas não concorda com a forma como as religiões ensinam. Vejamos:
Se tudo que existe é obra de Deus, então o inferno também é obra dele, de outra forma Deus não seria único. Um Deus bom. Um Deus de amor não poderia ter criado um lugar tão ruim assim. E mais. Se após a morte vamos viver eternamente em algum lugar é porque somos eterno. Aí eu pergunto: “ O QUE É A VIDA DIANTE DA ETERNIDADE”????. Alguns segundos talvez? 50, 100 anos não significam nada diante da eternidade.
Lógico que não podemos mandar para o Céu alguém que cometeu graves desvios de conduta durante sua vida terrena. Mas também não é justo castiga-lo para toda a eternidade por alguns segundos de bobeira, alguns segundos de imprevidência em razão da ignorância humana. Logo concluímos que Céu e inferno não são lugares definitivos, mas sim; transitórios. Se assim fosse; Deus não seria justo. Pois quando nos criou sabia exatamente como seria nossa vida na terra. Pois ele conhece o nosso passado, presente e futuro; de outra forma não seria infinitamente sábio. Sabia que se nos desse o livre arbítrio poderíamos nos perdes nos caminhos da vida. Mesmo assim ele não fez nada para impedir. Deixou que nos afastássemos dele para depois nos mandar para o inferno para sempre.
Este não me parece um Deus justo e misericordioso.
Mas as religiões contestam! A palavra de Deus está aí para todos. Quem não segue a palavra de Deus merece mesmo ser castigado.
Se assim fosse, Deus seria um ditador. Ou você me obedece ou será castigado! Ou está do meu lado ou está contra mim.
Jesus disse a Pedro que deveríamos perdoar setenta vezes sete. E disse também: “O bom pastor conhece suas ovelhas e nenhuma das minhas ovelhas se perderão”.
Quer dizer: Deus também nos perdoará e nos dará tantas quantas forem as oportunidades para nos redimir. Não fomos criados para sermos eternamente maus, nem predestinados a sofrer eternamente.
Por mais turrão, por mais teimoso que seja o doente, um dia ele percebe que se não tomar remédio, se não procurar a cura poderá morrer; assim também um dia sentiremos necessidade de melhorarmos, de evoluirmos espiritualmente. Se não melhorarmos por amor...melhoraremos pela dor. E quando o arrependimento nos tocar... bater à nossa porta...quando sentirmos o firme propósito de mudança...onde quer que estejamos...”inferno ...purgatório...umbral..”.seremos arrebatados pelos anjos de Deus; espíritos de luz que nos levarão para planos intermediário, onde seremos tratados e preparados para uma nova encarrnação; pois é na matéria que vamos saldar os débitos passados para podermos evoluir e um dia alcançarmos o Céu.
Mas o Céu também pode não ser um lugar definitivo.
Embora os santos, os espíritos de luz não tenham mais necessidades de se encanarem, nem sempre é isto que acontece.
Nas nossas várias encarnações, tivemos pai...mãe...filhos...irmãos...fizemos vários amigos; e se um dia conseguirmos evoluir e nos tornamos santos, não quer dizer que estes espíritos a quem aprendemos a amar também conseguirão.Muitos ficaram para traz...não conseguiram acompanhar a nossa evolução.
Assim, não nos sentiríamos felizes no céu vendo estes nossos irmãos sofrendo aqui no planeta ou perambulando pelo Umbral.
Com certeza pediremos ao Pai uma nova oportunidade. Uma oportunidade de reencarnar novamente entre estes espíritos queridos para ajuda-los a evoluir espiritualmente.
É por isso que de vez em quando aparecem um..São Francisco de Assis...Uma sta Rita de Cássia. Uma madre Tereza de Calcutá...uma irmã Dulce...um Chico Xavier... outro dia um programa de televisão mostrou uma viúva já de certa idade que tem 25 filhos adotivos. Trata todos com igual carinho, só com ajuda da comunidade. Não recebe nenhuma ajuda governamental. Porque será que ela faz isso?
CRISTO, nosso irmão maior, nosso mestre; apiedando-se da nossa ignorância, fez-se humano e se encarnou entre nós. Sofreu todas as dores possíveis. Após cruxificado e morto apareceu para os seus amigos com o seu corpo intacto. Quis mostrar a eles que a vida não termina na sepultura...vai muito além da noite do tumulo.
“NASCER...MORRER...RENASCER NOVAMENTE...ESTA É A LEI”