Seguidores

sábado, 16 de outubro de 2010

"NÃO PODEMOS MUDAR O MUNDO...MAS PODEMOS MUDAR O NOSSO MUNDO"

Muitas vezes me sinto revoltado ao ver tantas coisas erradas que acontecem. Quantas desigualdades existem entres os seres humanos. Enquanto uns se esbaldam no luxo, na fartura, outros em filas intermináveis de hospitais e asilos mendigam um médico para socorre-los ou um pedaço de pão para matar a fome.

E o pior, é que não vemos possibilidades de mudança; pois as pessoas que detém o poder, que poderiam fazer alguma coisa, não tem o menor interesse em fazer absolutamente nada. Nossos poderes constituídos estão falidos. Às pessoas formadoras de opinião que deveriam dar exemplos, são os primeiros a se lambuzarem no lamaçal da corrupção e, de escândalos em escândalos vão se atolando cada vez mais.
Nossa sociedade é hipócrita e mesquinha. Vivemos num mundo selvagem; cada um para si, Deus para ninguém.
Mas, porque estou aqui a dizer estas coisas?. Com que direito ergo minha voz contra os nossos governantes.? Será que se eu estivesse no lugar deles, não faria a mesma coisa??? Eis a pergunta que não quer calar! Porque critico esta sociedade da qual também faço parte. Também sou um cidadão deste pais. Também tenho às minhas obrigações; ou será que a parte que me toca é pequena demais que me isenta de qualquer culpa.?
Somos uns ignorantes e mal agradecidos. Fazemos parte de uma minoria privilegiada. Temos um monte de coisas que a maioria das pessoas não tem, e não sabemos agradecer. Nos habituamos a reclamar de tudo.
Temos saúde. Temos uma família maravilhosa. Temos trabalho. Temos convênio médico. Temos carro. Temos um montão de amigos, e ao invés de agradecer a Deus por tudo isso, transformamos estas coisas em problemas.
Reclamamos dos nossos filhos, do nosso trabalho, do nosso chefe, dos nossos amigos, reclamamos até do alimento que é servido em nossa mesa. O telefone é chato, a gravata incomoda, o trânsito é caótico, reclamamos pelo dia de hoje, pelo dia de ontem, reclamamos até pelo dia de amanhã que ainda não chegou.
Habituamo-nos a dizer que somos escravos. Só esquecemos de lembrar que somos escravos invejados por muitos; pois existem milhões de pessoas que dariam tudo para estar em nosso lugar.
Nos fechamos numa redoma, em nosso mundinho particular sem se importar com mais ninguém. Se encontramos alguém caído na rua, mudamos de calçada; afinal, pode ser um bêbedo. Mas pode ser também um epilético. Pode ser alguém do nosso convívio; mas só vamos saber se inteirarmos da situação. Mas já temos problemas demais e não vamos poder consertar o mundo. Acalmamos assim à nossa consciência com desculpas esfarrapadas que não convencem nem a nós mesmos.
É como disse o poeta: “É preciso amor para poder pulsar”. Nenhum coração pulsa sem amor. Nenhum coração amolece sem Deus dentro dele.
Que tal começarmos a rever nossos princípios? Como vai o nosso relacionamento, em casa, com nossos filhos, com nosso cônjuge, com nossos vizinhos em nosso meio social?.
Que tal desmanchar esta testa franzida. Mostrar os dentes quando você sorrir. Deixar de lado aquelas picuinhas que não levam a nada. Que tal dar aquele abraço gostoso, mas não aquele abraço de lado como que esta com medo de alguma coisa; aquele abraço forte que faz sentir o calor da pessoa abraçada .
Que tal começarmos a ser um pouco mais humanos...um pouco mais gente? Que tal colocarmos um pouco mais de” Deus” em nossas vidas. ?

Realmente não podemos consertar o mundo. Mas podemos melhorar o nosso mundo.

Se cada um melhorar um pouco o seu “MUNDO”, com certeza um dia o mundo de todos será bem melhor.

"NÃO PODEMOS MUDAR O MUNDO...MAS PODEMOS MUDAR O NOSSO MUNDO"

Muitas vezes me sinto revoltado ao ver tantas coisas erradas que acontecem. Quantas desigualdades existem entres os seres humanos. Enquanto uns se esbaldam no luxo, na fartura, outros em filas intermináveis de hospitais e asilos mendigam um médico para socorre-los ou um pedaço de pão para matar a fome.

E o pior, é que não vemos possibilidades de mudança; pois as pessoas que detém o poder, que poderiam fazer alguma coisa, não tem o menor interesse em fazer absolutamente nada. Nossos poderes constituídos estão falidos. Às pessoas formadoras de opinião que deveriam dar exemplos, são os primeiros a se lambuzarem no lamaçal da corrupção e, de escândalos em escândalos vão se atolando cada vez mais.
Nossa sociedade é hipócrita e mesquinha. Vivemos num mundo selvagem; cada um para si, Deus para ninguém.
Mas, porque estou aqui a dizer estas coisas?. Com que direito ergo minha voz contra os nossos governantes.? Será que se eu estivesse no lugar deles, não faria a mesma coisa??? Eis a pergunta que não quer calar! Porque critico esta sociedade da qual também faço parte. Também sou um cidadão deste pais. Também tenho às minhas obrigações; ou será que a parte que me toca é pequena demais que me isenta de qualquer culpa.?
Somos uns ignorantes e mal agradecidos. Fazemos parte de uma minoria privilegiada. Temos um monte de coisas que a maioria das pessoas não tem, e não sabemos agradecer. Nos habituamos a reclamar de tudo.
Temos saúde. Temos uma família maravilhosa. Temos trabalho. Temos convênio médico. Temos carro. Temos um montão de amigos, e ao invés de agradecer a Deus por tudo isso, transformamos estas coisas em problemas.
Reclamamos dos nossos filhos, do nosso trabalho, do nosso chefe, dos nossos amigos, reclamamos até do alimento que é servido em nossa mesa. O telefone é chato, a gravata incomoda, o trânsito é caótico, reclamamos pelo dia de hoje, pelo dia de ontem, reclamamos até pelo dia de amanhã que ainda não chegou.
Habituamo-nos a dizer que somos escravos. Só esquecemos de lembrar que somos escravos invejados por muitos; pois existem milhões de pessoas que dariam tudo para estar em nosso lugar.
Nos fechamos numa redoma, em nosso mundinho particular sem se importar com mais ninguém. Se encontramos alguém caído na rua, mudamos de calçada; afinal, pode ser um bêbedo. Mas pode ser também um epilético. Pode ser alguém do nosso convívio; mas só vamos saber se inteirarmos da situação. Mas já temos problemas demais e não vamos poder consertar o mundo. Acalmamos assim à nossa consciência com desculpas esfarrapadas que não convencem nem a nós mesmos.
É como disse o poeta: “É preciso amor para poder pulsar”. Nenhum coração pulsa sem amor. Nenhum coração amolece sem Deus dentro dele.
Que tal começarmos a rever nossos princípios? Como vai o nosso relacionamento, em casa, com nossos filhos, com nosso cônjuge, com nossos vizinhos em nosso meio social?.
Que tal desmanchar esta testa franzida. Mostrar os dentes quando você sorrir. Deixar de lado aquelas picuinhas que não levam a nada. Que tal dar aquele abraço gostoso, mas não aquele abraço de lado como que esta com medo de alguma coisa; aquele abraço forte que faz sentir o calor da pessoa abraçada .
Que tal começarmos a ser um pouco mais humanos...um pouco mais gente? Que tal colocarmos um pouco mais de” Deus” em nossas vidas. ?

Realmente não podemos consertar o mundo. Mas podemos melhorar o nosso mundo.

Se cada um melhorar um pouco o seu “MUNDO”, com certeza um dia o mundo de todos será bem melhor.