Seguidores

quinta-feira, 16 de março de 2017

“A PERTURBAÇÃO QUE SE SEGUE A SEPARAÇÃO DO ESPÍRITO E DO CORPO É IGUAL PARA TODOS OS ESPÍRITOS. ?”

A perturbação que se segue à separação do Espírito e do corpo é igual para todos os Espíritos?
Também é uma pergunta (164) contida no Livro dos Espíritos. Eis a resposta: "Não; depende da elevação de cada um. Aquele que já está purificado se reconhece quase imediatamente, pois que se libertou da matéria, antes que cessasse a vida do corpo, enquanto que o homem carnal, aquele cuja consciência ainda não está pura, guarda por muito mais tempo a impressão da matéria."
E a questão 165 aprofunda o assunto: "Por ocasião do desencarne, tudo, a princípio, é confuso. De algum tempo precisa a alma para entrar no conhecimento de si mesma. Ela se acha como que aturdida, no estado de uma pessoa que despertou de profundo sono e procura orientar-se sobre a sua situação. A lucidez das ideias e a memória do passado voltam, à medida que se apaga a influência da matéria (corpo) que ela acaba de abandonar, e à medida que se dissipa a espécie de névoa que lhe obscurece os pensamentos.
Muito variável é o tempo que dura a perturbação que se segue à morte. Pode ser de algumas horas, como também de muitos meses e até de muitos anos. Aqueles que, desde quando ainda viviam na Terra, se identificaram com o estado futuro que os aguardava, são os que compreendem imediatamente a posição em que se encontram.
Aquela perturbação apresenta circunstâncias especiais, de acordo com os caracteres dos indivíduos e, principalmente, com o género de desencarne. Nos casos de desencarne violento, por suicídio suplício, acidente, apoplexia, ferimentos, etc, o Espírito fica surpreendido, espantado e não acredita estar desencarnado. Obstinadamente sustenta que não o está. No entanto, vê o seu próprio corpo, reconhece que esse corpo é seu, mas não compreende que se ache separado dele.
Acerca-se das pessoas a quem estima, fala-lhes e não percebe por que elas não o ouvem. Semelhante ilusão se prolonga até ao completo desprendimento do perispírito. Só então o Espírito se reconhece como tal e compreende que não pertence mais ao número dos vivos.
Este fenômeno se explica facilmente. Surpreendido de improviso pela morte, o Espírito fica atordoado com a brusca mudança que nele se operou; considera ainda o desencarne como sinônimo de destruição, de aniquilamento. Ora, porque pensa, vê, ouve, tem a sensação de não estar desencarnado. Mais lhe aumenta a ilusão, o fato de se ver com um corpo semelhante, na forma, ao precedente, mas cuja natureza etérea ainda não teve tempo de estudar.
Observa-se então o singular espetáculo de um Espírito assistir ao seu próprio enterramento como se fora o de um estranho, falando desse ato como de coisa que lhe não diz respeito, até ao momento em que compreende a verdade.
A perturbação que se segue à morte nada tem de penosa para o homem de bem, que se conserva calmo, semelhante em tudo a quem acompanha as fases de um tranquilo despertar. Para aquele cuja consciência ainda não está pura, a perturbação é cheia de ansiedade e de angústias, que aumentam à proporção que ele da sua situação se compenetra.
Nos casos de desencarne coletivo, tem sido observado que todos os que perecem ao mesmo tempo nem sempre tornam a ver-se logo. Presas da perturbação que se segue à morte, cada um vai para seu lado, ou só se preocupa com os que lhe interessam."
Fonte: A Casa do Espiritismo

www.acasadoespiritismo.com.br/

“O QUE SÃO TREVAS, ABISMOS, UMBRAL E COLÔNIAS ESPIRITUAIS? ”

Os lugares mais falados pelos Espíritos aos homens do planeta Terra são: Abismos, Trevas, Umbral e Colônias Espirituais. Já vimos bastante sobre isso, mas como ainda existem dúvidas, falemos um pouco mais.

ESFERAS TERRESTRES – A terra como se sabe é um mundo de "Expiação e Provas, onde domina o mal". Assim Espíritos viciosos das mais diversas naturezas sintonizam com as vibrações deletérias dela imanadas permanecendo a ela vinculados.
No livro NAS FRONTEIRAS DA LOUCURA de Divaldo pelo Espírito Manoel F Miranda reporta-se à época do carnaval na cidade do Rio de Janeiro, para que possamos aquilatar a nossa natureza vibracional e o nosso envolvimento com pensamentos de baixo nível.
"As mentes em torpe comércio de interesses subalternos, haviam produzido uma psicosfera pestilenta na qual se nutriam vibriões psíquicos, formas-pensamento de mistura com Entidades perversas, viciadas, dependentes, em espetáculo pandemônio, deprimente"

ZONAS DE TRANSIÇÃO – São colônias espirituais inseridas no Umbral, quais fossem oásis nos desertos. Os Espíritos que conseguem alcançá-las , por méritos conscienciais, nelas encontram amparo e assistência podendo reajustar-se e até mesmo evoluir.
Nosso Lar, Mansão da Paz, Colônia Campo de Paz, Casa Transitória de Fabiano, Colônia da Música, Redenção e mais centenas de outras são Colônias existentes na região que compreende o Brasil. Em princípio, é nas Colônias que se situam os Hospitais Espirituais.
Mas, existem também os chamados "Postos de Socorro", que funcionam como "bastiões avançados, numa incessante busca de novos Espíritos que tenham logrado reunir condições para acessar novas paragens, mais evoluídas vibracionalmente."

UMBRAL é uma região espiritual que começa na crosta terrestre e na qual se concentra tudo o que não tenha finalidade para a vida superior. E' a região para esgotamento de resíduos mentais, uma zona purgatorial.
Os Espíritos aí confinados julgam-se injustiçados e sentem-se desesperançados por não terem encontrado no Mundo dos Espíritos aquilo que suas crenças religiosas divulgaram.
No livro Nosso Lar-, de André Luiz, está registrado: "No Umbral, encontram-se legiões compactas de almas irresolutas e ignorantes, que não são suficientemente perversas para serem enviadas à colônia de reparação mais dolorosa, nem bastante nobres para serem conduzidas a planos de elevação."

ABISMO é uma região espiritual de padecimentos indescritíveis, destinada a Espíritos que tenham cometido os mais graves crimes contra as Leis Divinas. Os Espíritos vinculam suas consciências à região e se agrupam conforme os erros grosseiros que tenham cometido na última reencarnação.
Euzébio, instrutor de André Luiz, nos diz: "Aqui os avarentos, os homicidas e os viciados de todos os matizes se agregam em deplorável situação."

TREVAS é uma região espiritual desprovida de qualquer luminosidade, constituindo a morada de Espíritos ainda envolvidos pelas mais diversas vibrações do mal e que tenham tido comportamento moral condenável em suas oportunidades reencarnatórias.
No livro Libertação, André Luiz relata uma expedição a uma região, sustentada por vibrações espirituais negativas. Ele diz: "Vizinha à região dos homens, começa um vasto império espiritual. Aí se agitam milhões de Espíritos imperfeitos, que partilham com as criaturas terrenas as condições de habitabilidade da crosta do Mundo."

ESFERAS SUPERIORES – São regiões de felicidade , onde estacionam Espíritos devotados de grande elevação moral , lá habitam os Bons Espíritos e os Espíritos Superiores.
André Luiz foi visitar sua mãe quando estava dormindo em N Lar nessa esfera.

ESFERAS RESPLANDESCENTES – Regiões Espirituais onde impera a bondade , a confiança e a felicidade verdadeiras.
No livro RENÚNCIA ditado pelo Esp. Emmanuel médium FCX , é descrita a paragem espiritual a que está vinculado o Espírito ALCÍONE , são paisagens que nossa pobre imaginação não consegue nem sonhar.

As Colônias Espirituais ficam no Umbral, como maravilhosos oásis. Os Espíritos que conseguem alcançá-las, nelas encontram amparo e assistência, que os ajudam a reajustar-se e até mesmo a evoluir.
É importante saber que em nenhum momento, esteja o Espírito rebelde onde estiver, ele estará entregue à própria sorte!
Sempre existem Espíritos abnegados, esforçados trabalhadores, que anseiam que eles lhes deem uma oportunidade para resgatá-los!
Aliás, o valoroso trabalho deles é, entre outras não menos importantes missões, o resgate nas regiões umbralinas; tratamento médico, psicológico e espiritual; readaptação à nova vida e a necessária preparação para uma nova e indispensável reencarnação!
Os suicidas e os que desencarnaram de forma mais violenta são os que chegam às Colônias mais necessitados de atenção e tratamentos especiais
Fonte:

A Casa do Espiritismo-www.acasadoespiritismo.com.br/