Seguidores

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

"O QUE ACONTECE COM O ESPÍRITO DE UM SUICIDA"


“O SUICÍDIO E SUAS CONSEQUÊNCIAS SEGUNDO O ESPIRITISMO”

Esta é uma questão complicada e que traz muito sofrimento às almas que dela sofrem.
O suicídio é o ato de um indivíduo, deliberadamente, encurtar a própria vida. Suicídios acometem pessoas em todas as camadas sociais e por diversos motivos, desde depressão, problemas financeiros, amores não correspondidos e por ai vai.
Mas como vamos olhar o tema pela visão espírita vamos analisar primeiramente o que nos diz o livro dos espíritos nas perguntas 943 e 944:
943. Donde nasce o desgosto da vida, que, sem motivos plausíveis, se apodera de certos indivíduos?
“Efeito da ociosidade, da falta de fé e, também, da saciedade.” “Para aquele que usa de suas faculdades com fim útil e de acordo com as suas aptidões naturais, o trabalho nada tem de árido e a vida se escoa mais rapidamente. Ele lhe suporta as vicissitudes com tanto mais paciência e resignação, quanto obra com o fito da felicidade mais sólida e mais durável que o espera.”
944. Tem o homem o direito de dispor da sua vida?
“Não; só a Deus assiste esse direito. O suicídio voluntário importa numa transgressão desta lei.”
Vemos que segundo os espíritos a causa principal do suicídio é a ociosidade espiritual. mas o que seria isso? A pessoa que não vê objetivos na vida e nem se sente estimulada à buscar qualquer ocupação útil. Claro que isso não é única causa, porém buscamos explorar os principais motivos antes a fim de estudarmos juntos os aspectos de problema de grande consequência para o ser.
Alguns dão fim a vida a fim de fugir dos diversos problemas causados pela vida, talvez se encontrando em situações difíceis esses espíritos buscam na morte a fuga de tamanhos sofrimentos. Kardec também busca resposta à essa indagação:
946. E do suicídio cujo fim é fugir, aquele que o comete, às misérias e às decepções deste mundo?
“Pobres Espíritos, que não têm a coragem de suportar as misérias da existência! Deus ajuda aos que sofrem e não aos que carecem de energia e de coragem. As tribulações da vida são provas ou expiações. Felizes os que as suportam sem se queixar, porque serão recompensados! Ai, porém, daqueles que esperam a salvação do que, na sua impiedade, chamam acaso, ou fortuna! O acaso, ou a fortuna, para me servir da linguagem deles, podem, com efeito, favorecê-los por um momento, mas para lhes fazer sentir mais tarde, cruelmente, a vacuidade dessas palavras.”
Nesta resposta os espíritos nos mostram que NENHUM sofrimento foge à Deus e Ele não tarda à auxiliar o ser a passar pela adversidade necessária. Sabemos da lei de ação e reação que os espíritos em sofrimento espiam algum tipo de falta ou passam por uma prova necessária a elevação espiritual. Quanto maior a provação maior o avanço que o espírito obterá em concluindo esta etapa.
Sendo assim percebemos o enorme atraso que o suicídio causa ao processo evolutivo da criatura. De fato além de “parar no tempo” na progressão espiritual o indivíduo comete crime à lei de preservação e sobrevivência que todos nós trazemos dentro de nós.
Tais argumentos são apresentados na resposta à seguinte pergunta:
950. Que pensar daquele que se mata, na esperança de chegar mais depressa a uma vida melhor?
“Outra loucura! Que faça o bem e mais certo estará de lá chegar, pois, matando-se, retarda a sua entrada num mundo melhor e terá que pedir lhe seja permitido voltar, para concluir a vida a que pôs termo sob o influxo de uma ideia falsa. Uma falta, seja qual for, jamais abre a ninguém o santuário dos eleitos.”
Agora percebemos o quanto o suicídio pode ser danoso à evolução espiritual e aqueles que buscam neste ato a fuga de suas dores acabam por ampliá-las no além túmulo.
O suicídio indireto:
Chama-se suicídio indireto, o ato de um ser fazer a si mesmo um mal consciente que pode lhe levar à doenças e inclusive ao óbito. Um exemplo é o ato de fumar. Todos atualmente sabem o mal que faz fumar cigarros e quem o faz tem a culpa equivalente a de um suicida comum. Um outro exemplo é o de André Luiz, na obra Nosso Lar de Chico Xavier. Nela André Luiz é acusado de suicida pois sua morte foi devido à excessos alimentares tais que seu fígado perispiritual ficou com a marca deste desequilíbrio. Existem Outros mais tipos de suicídios indiretos, que não são o ato de matar-se de imediato e propositadamente, mas sim de fazer algo que possa lhe trazer malefícios energéticos capazes de comprometer-lhe a organização física e perispiritual.
O que acontece com o espírito suicida?                 
Como sabemos no espiritismo cada caso é um caso e existem inúmeros fatores que podem levar à uma conclusão diferente para cada situação específica. Listarei aqui algumas das possibilidades não sendo elas todas as possíveis mas as mais comumente contadas em literaturas espíritas e em reuniões mediúnicas.
Ao se suicidar um espírito abaixa seu campo vibracional automaticamente devido ao crime cometido contra a própria vida. Isso leva à todo tipo de sensações de níveis mais baixos podendo causar no espírito incríveis sentimentos de culpa, já que no mundo espiritual a consciência do ser tem voz muito mais ativa que no mundo corporal o suicida pode sofrer por muitos anos de uma culpa que corrói o seu psiquismo levando à beira da loucura espiritual.
Também existem casos desses espíritos ficarem de tal forma tão fora de si que acabam sendo presas fáceis dos vampiros energéticos. espíritos sombrios que aproveitam-se de espíritos errantes em sofrimento para sugar-lhe as energias residuais pós-desencarne (vide a obra Nosso Lar de André Luiz).
Há também um lugar chamado vale dos suicidas, onde energeticamente os espíritos que cometessem tal ato se atraíam mutuamente. A médium Yvonne Pereira, em seu livro “Memórias de um Suicida”, fala do Vale dos Suicidas. Existem notícias em reuniões mediúnicas que o grupo de espíritos responsáveis pelo resgate neste campo espiritual chamados de Legião dos Servos de Maria. Atualmente correm notícias confirmadas em algumas reuniões mediúnicas de que o vale fora desfeito devido às reurbanizações espirituais (um tipo de limpeza energética que começa a ser feita lentamente nas regiões espirituais próximas à crosta devido à chegada do momento de elevação do planeta Terra para um mundo de regeneração). Sendo confirmado ou não sabe-se que ainda existem várias regiões no umbral onde espíritos em sofrimento, inclusive suicidas se reúnem devido à simpatia de pensamentos.
Ao reencarnar muitos suicidas vem com o órgão que foi atacado pelo suicídio indireto marcado, isso explica muitos defeitos congênitos. Podem ser espíritos que em vidas anteriores cometeram algum tipo de excesso que lhes causou uma marca perispiritual de tanta profundidade que ainda em outra vida os efeitos desta ação são percebidos em forma de distúrbios de saúde apresentados desde a infância.
Como evitar o suicídio ou que um ente amado tenha tais tendências?
Kardec nos responde dizendo que somente o trabalho, ou seja, uma ocupação útil que lhe traga a satisfação de estar sendo útil para o mundo e para si mesmo. Aos que possuem qualquer tipo de desordem mental, seja depressão ou qualquer tipo de problemas psicológicos, deve procurar sempre ajuda profissional, pois que a medicina na terra não deixa de ter efeito de forma alguma. lembre-se, a vida continua e o suicídio não irá lhe salvar de problemas e sim aumenta-los!
Busque os amigos, a família, que tem importante papel no auxilio para a recuperação do equilíbrio emocional do indivíduo. Ande com fé, tente ser grato às coisas que tem, já parou para pensar que muitas pessoas na África por exemplo tem MUITO menos que você e buscam sempre sobreviver?
é verdade que é uma situação complicada mas Deus está ao seu lado! Aos irmãos que possuem amigos que tentaram suicídio ou tem tendências sérias à isso digo: não os desamparem! continuem orientando-os e buscando auxiliar lhes à encontrar algo que possa lhes salvar de si mesmo.
Por fim Quero desejar que Deus ampare o coração de todos que se suicidaram e encontram-se em dor devido ao ato impensado contra a própria vida, que a luz se faça na vida de cada um e que possam reparar seu erro. Espero que o artigo tenha sido útil, apesar de um pequeno resumo espero que ajude nas discussões e debates referentes ao assunto! Muita Paz!

Fonte: Espiritismo da Alma

“A ESPIRITUALIDADE DOS ANIMAIS. ”

Pergunta 1 – Os animais têm alma?
Resposta: Sim. Considerando que a inteligência é um dos atributos essenciais do espírito, tão importante que um se confunde com o outro, podendo até serem considerados a mesma coisa e como os animais agem demonstrando Inteligência Racional ou não Racional (na forma de instintos), eles possuem um princípio independente da matéria que sobrevive ao corpo e pode ser considerado seu espírito e quando encarnado sua alma.
Justificativas:
L. dos Espíritos – Pergunta 24 – “A inteligência é um atributo essencial do espírito um e outro, porém, se confundem num princípio comum, de sorte, que para vós, são a mesma coisa.”
L. dos Espíritos – Pergunta 73 – “O instinto é uma espécie de inteligência. É uma inteligência sem raciocínio”.
L. dos Espíritos – Pergunta 597 – “Pois que os animais possuem uma inteligência que lhes faculta certa liberdade de ação. Haverá neles algum princípio independente da matéria? – Há e que sobrevive ao corpo”.
Pergunta 2 – A alma dos animais difere da alma dos humanos?
Resposta: – Não, no sentido de sua origem. A alma dos humanos e dos animais só estão em fases evolutivas diferentes, onde as almas humanas tem uma aquisição muito maior.
Justificativas:
L. dos Espíritos – Pergunta 540 – “Tudo se encadeia na natureza, desde o átomo primitivo até o arcanjo, que também começou por ser átomo. ”
L. dos Espíritos – Pergunta 606-A – “Então emanam de um único princípio a inteligência do homem e dos animais? Sem dúvida. ”
Pergunta 3 – O que acontece com os animais ao desencarnarem?
Resposta: – Quando os animais desencarnam seu espírito é recebido por espíritos incumbidos de tutelá-los no mundo espiritual. Ele é curado de suas enfermidades (muito mais rápido que os humanos) e é logo reconduzido para animar novos seres. Alguns animais, por suas características próprias e valores adquiridos servem ao homem também no mundo espiritual. Vemos, pois, cães, aves, e outros animais que são descritos nas obras espíritas, mas não são espíritos errantes, pois não possuem essa liberdade. Os espíritos dos animais no mundo espiritual ficam sob a tutela dos humanos, que se incumbem deles.
Justificativas:
L. dos Espíritos – Pergunta 600 – “A alma do animal depois da morte é classificado pelos espíritos a quem incumbe essa tarefa e é utilizado quase imediatamente. ”
L. dos Médiuns – Pergunta 283 – “Depois da morte do animal o princípio inteligente que nele havia se acha em estado latente e é logo utilizado, por Espíritos incumbidos disso, para animar novos seres, em os quais continua a obra de sua elaboração, assim , no mundo dos espíritos não há errantes Espíritos de animais, porem unicamente Espíritos humanos.”
Nosso Lar – André Luiz – ”Aves de plumagens policromas cruzavam os ares e de quando em quando pousavam agrupadas nas torres muitas alvas…”
“Os cães são auxiliares preciosos nas regiões escuras do Umbral”
“Animais que mesmo de longe pareciam iguais aos muares terrestres”
Pergunta 4 – Se os animais reencarnam eles evoluem como nós humanos?
Resposta: Os animais evoluem, mas não como nós, eles evoluem pela “força das coisas”, ou seja, por situações que são alheias a sua vontade. Como ainda não têm um livre arbítrio desenvolvido igual aos humanos à maioria das situações de aprendizado são motivadas por forças externas a sua vontade.
Deste modo os animais não tem que expiar suas dívidas, apenas aprender com suas experiências. O termo por “força das coisas” refere-se às organizações de Espíritos superiores agindo sobre os animais, que não poderiam se conduzir por si mesmos.
Justificativas:
L. dos Espíritos – Pergunta 602 – “Os animais progridem como o homem, por ato da própria vontade, ou pela força das coisas? – Pela força das coisas, razão por que não estão sujeitos à expiação.”
Revista Espírita março de 1864 – “Há uma lei geral que rege os seres da criação, animados ou inanimados; é a lei do progresso. Os espíritos estão submetidos a ela pela força das coisas.”
Programa “Alma Querida” – Adão Nonato- “Os animais evoluem dentre as espécies até se aproximarem do homem, é pelo contato com o ser humano, que os animais irão fazer sua evolução para humanizar-se.”
Pergunta 5: Os animais sentem dor? Possuem sentimentos?
Resposta: Sim e cada vez mais a ciência vem confirmando esses fatos que aquelas pessoas que convivem com os animais nunca tiveram dúvida.
Justificativas:
“Lato, logo existo” – O Estado de São Paulo – 217\2012 – “Ante evidências de que os animais têm consciência e sofrem é hora de o homem tratá-los com respeito”…,…“Com o respaldo de uma década e meia de estudos do fenômeno da consciência, do comportamento animal, da rede neural, da genética e da anatomia do cérebro, cada vez mais refinado por novas tecnologias de investigação, concluiu-se que as estruturas nervosas ativadas no cérebro de um bicho assemelha-se às de um humano quando também sente prazer, medo, dor e até piedade.”
Mandato de Amor – Chico Xavier – “Quem ignora que a vaca sofre imensamente a caminho do matadouro? Quem duvida que minutos antes do golpe fatal, os bovinos derramam lágrimas de angústia? “
Qual sua Dúvida para o tema “A Espiritualidade dos Animais” – Marcel Benedeti – “Os animais, assim como nós, possuem sistema nervoso que serve para fornecer informações sobre o meio ambiente em que está . . .A dor que é uma interpretação desse sistema corporal, serve para indicar a presença de perigo ou risco para sua sobrevivência”
Pergunta 6 – Por que os animais sofrem tanto?
Resposta: Os animais sofrem, não para compensar ou resgatar seus erros, pois seu livre arbítrio é muito restrito, mas sofrem para que sua consciência se expanda e alcancem maior conhecimento.
Justificativas:
Léon Denis – “Todos os seres têm de passar pelo sofrimento. Sua ação é benfazeja…,… O sofrimento é, de modo geral, como agente de desenvolvimento, condição de progresso.”
Qual sua Dúvida para o tema “A Espiritualidade dos Animais” – Marcel Benedeti – “À medida que os Espíritos na condição animal, por exemplo, expandem sua consciência pela dor, expandem também sua condição de desenvolver sentimentos relacionados ao amor ao próximo, tornando –os aptos a entrar em outra faixa evolutiva: a humanidade. ”
Emanuel – Chico Xavier – “Nem sempre o sofrimento está atrelado ao resgate do passado, mas toda a vivencia atrelada ao sofrimento leva ao aprendizado. ”
Pergunta 7: Como os animais reencarnam com certa rapidez é possível que retornem para a mesma família?
Resposta: Sim, e até muito provável que durante o percurso de nossa vida carnal, que é bem mais longa que a da maioria dos animais de estimação, reencontremos amigos que desencarnaram e que se apresentam em novos corpos para continuarem seu aprendizado a nosso lado.
Justificativas:
Qual sua Dúvida para o tema “A Espiritualidade dos Animais” – Marcel Benedeti – “Os animais principalmente os domésticos, aprendem conosco, que somos, além de irmãos, seus professores. Durante o tempo em que permanecem conosco, passam por várias experiências, como encarnados, e quando já for o suficiente, provavelmente ele reencarnará em outra família e em outra localidade onde aprenderá coisas que não podemos oferecer. Mas em geral retornam varias vezes ao mesmo lar.”
Emanuel – Chico Xavier – “Chico, pare e preste atenção neste cãozinho. É o Dom Pedrito que está voltando para você!”
A Questão Espiritual dos animais – Irvênia Prada – “A reencarnação pode favorecer o reencontro afetivo entre animais e homens para continuarem juntos o aprendizado de amor”
Pergunta 8: Se os animais evoluem, eles um dia se tornarão humanos?
Resposta: Sim, como já foi comentado, a evolução se dá do “Átomo ao Arcanjo”, assim a alma passa por uma evolução constante, cada vez galgando um degrau mais elevado. Tudo depende do aprendizado e chegará uma hora que os animais adentrarão no reino hominal, assim como o homem evoluindo se tornará um dia um arcanjo.
Justificativas:
A Gênese – Allan Kardec – “Todas as almas têm a mesma origem e são destinadas ao mesmo fim. A todos o Supremo Senhor proporciona os mesmos meios de progresso, a mesma luz, o mesmo amor.”
A Gênese – Allan Kardec – “A alma dos animais segue uma lei progressiva como a alma humana; e que o Princípio Inteligente de que são dotados (…) finalmente estes passarão um dia do reino animal para o reino hominal.”
Programa “Alma Querida” – Adão Nonato- “Os animais evoluem dentre as espécies até se aproximarem do homem, é pelo contato com o ser humano, que os animais irão fazer sua evolução para humanizar-se.”
Revista Espírita – Março de 1860 – “Pode (um animal) aperfeiçoar-se a ponto de se tornar um Espírito Humano? – Ele pode, mas depois de passar por muitas existências animais, seja no nosso planeta terrestre, seja em outros.”
“Nossos benfeitores espirituais nos esclarecem que é preciso que todos consideremos que os animais diversos, a nós rodearem a existência de seres humanos em evolução no planeta Terra, são nossos irmãos menores, desenvolvendo em si mesmo o próprio princípio inteligente.(…) Eles, os animais aspiram ser, num futuro distante, homens e mulheres inteligentes e livres. Assim sendo, nós podemos nos considerar como irmãos mais velhos e o mais experimentado dos animais. (…) Tudo isso se resume em graves responsabilidades para os seres humanos; a angústia, o medo e o ódio que provocamos nos animais lhe altera o equilíbrio natural de seus princípios espirituais, determinando ajustamentos em posteriores existências (…) A responsabilidade maior recairá sempre nos desvios de nós mesmos, que não soubemos guiar os animais no caminho do Amor e do Progresso, seguindo a Verdade de Deus” – Chico Xavier – Mandato de Amor.
Autor: Ricardo Luiz Capuano- Médico veterinário- Apresentador do programa “Nossos Irmãos Animais” e do quadro “Consciência Animal” na Radio Boa Nova.
Finte: editoramundomaior.wordpress.com

Autor: Ricardo Luiz Capuano

"ORIENTAÇÃO ESPÍRITA SOBRE A DESENCARNAÇÃO DOS ANIMAIS."


“EMANCIPAÇÃO DA ALMA E FENÔMENOS DECORRENTES. ”


Emancipação da alma é liberdade momentânea da alma, ou seja, quando o sono entorpece o corpo os laços que o prendem afrouxam-se lhe dando liberdade de ação, como o Espírito liberto do corpo.
A alma  como Allan Kardec definiu é o Espírito encarnado, muito mais que um aparente sinônimo é à base de inúmeras manifestações que já fazem parte da natureza do Espírito encarnado, enquanto no fenômeno mediúnico temos um fenômeno provocado.
Por exemplo, tenho um computador a minha disposição e o uso para manifestar meu pensamento através da escrita, para que o computador escreva meu pensamento, requer que eu provoque através do toque das teclas e manifeste o pensamento, o computador é o meio de comunicação e o agente que se comunica sou eu.
Então na comunicação mediúnica eu tenho um agente que usa um equipamento para se comunicar.
Então se não fosse o computador não teríamos este tipo de comunicação, mas mesmo assim poderíamos nos comunicar pela fala caso nos conhecemos e conversássemos pessoalmente.
Porque a fala é uma ferramenta que adquirimos com a evolução e manifesta-se naturalmente e mecanicamente.
Partindo desta comparação entendemos que existe fenômenos que mal compreendidos fogem o nosso entendimento sem que fuja da naturalidade.
O sexto sentido ou o sentido do Espírito ele sedimenta-se em nós pelo exercício e pelo impulso natural da evolução.
Quando nossa alma se liberta parcialmente do corpo, nosso Espírito se liberta ou emancipa-se estamos com as mesmas possibilidades dos Espíritos, pois assim o somos, se temos as mesmas possibilidades podemos nos encontrar com outros Espíritos e conversar com eles, em um fenômeno natural, ou seja, anímico, natural não precisa que seja provocado, não sendo provocado ele é seu, ele é de sua alma por isso ele é anímico.
E quem encontramos ou com quem nos relacionamos?
Esta é uma pergunta individual a cada um, sendo que cada um possa se responder...
Quais são suas afinidades, desejos busca?
Ou como Jesus definiu: "onde esta o teu tesouro, ali também esta o seu coração."
Entendamos que o que chamam de desdobramento, projeção da consciência, viagem astral o espiritismo chama de Emancipação da alma.
Além da possibilidade de comunicação com outros Espíritos que amamos familiares e amigos estes nos contam que estão bem e vivos, temos atividades diárias, mas nem sempre trazemos para o nosso cérebro essas lembranças, pois é em nosso Espírito que fica a nossa memória.
Outros fenômenos anímicos podem ocorrer e ser catalogado por ocasião da Emancipação da alma ou liberdade do Espírito encarnado...
A bi corporeidade o que é isso?
Bi corporeidade é seu Espírito estar em lugar diferente do seu corpo e você ser visto, às vezes tocado, e outras visto ouvido e tocado, como inúmeros casos ocorridos com Eurípides Barsanulfo.
A comunicação Espíritas entre os vivos, como isso se processa?
Estando momentaneamente liberto o Espírito ou a alma, está com as mesmas possibilidades do desencarnado pode buscar os mesmos meios de comunicação, partindo destes princípios, Allan Kardec fez alguns experimentos  para analisar esta possibilidade e divulgou na Revista Espírita, depois Ernesto Bozzano fez diversas experiências e lançou um livro com extrato destas experiências, o que eu quero dizer que o pode obter uma comunicação de uma pessoa estando esta em Espírito através da Psicofonia (fala por meio de um médium) ou Psicografia (escrita por meio de um médium).
Quando emancipado o Espírito pode algumas ter pré-cognições, ou seja, ver acontecimentos que podem vir a acontecer, mas que pelas escolhas de cada um podem mudar os rumos de cada um, pois uma escolha feita em segundos muda a trajetória de uma vida, ou elas ficam guardadinhas lá e até esquecidas, e ressurgem em fenômenos chamados D'javu (Em francês: Eu já vi).
Para não alongamos este texto falaremos de mais fenômenos anímicos mais tarde.
Com este texto viso tentar resgatar nos espíritas a cultura espírita, ao utilizar termos que nos são próprios para interpretar o que acontece conosco e a nossa volta.
E levar a pensar que somos muito mais do que percebemos ser, e que precisamos a nos preparar para viver com dignidade este momento de liberdade, pois somos cidadão do universo estagiando no planeta chamado Terra para experiências que respondem pelo nosso atual estagio de evolução.
Pense nisso.
Mas pense agora.


Ricardo de Lima