Seguidores

terça-feira, 28 de junho de 2016

“O HOMEM UM SER ESPIRITUAL? -PERÍSPIRITO”

A palavra perispírito foi empregada pela primeira vez por Allan Kardec, no item 93 de O Livro dos Espíritos, para designar o complexo fluídico que envolve a Alma. André Luiz (Espírito) chama-o de psicossoma e/ou corpo espiritual. Porém, hoje, os autores dão aos três termos – períspirito, corpo espiritual e psicossoma – o mesmo sentido.
Segundo Kardec “A alma é, pois, um ser simples; o Espírito, um ser dual e o homem, um ser trino”. Porém, alma e períspirito constituem um todo indissolúvel, constituem o ser chamado Espírito. Portanto,  “a alma é o centro de vida do perispírito, como este é o centro de vida do organismo físico. É a alma que sente, pensa e quer; o corpo físico constitui, com o corpo fluídico, o duplo organismo por cujo intermédio a Alma atua no mundo da matéria” (ZIMMERMANN, p.24).
Assim, a Alma é o princípio inteligente, imperceptível e indefinido; o períspirito é um ser limitado, definido e circunscrito à sua individualidade espiritual; a união da alma, do períspirito e do corpo material constitui o homem; a alma e o períspirito separados do corpo físico constitui o Espírito.
O autor espirita Léon Denis - no livro Depois da Morte, capitulo XXIX – O Homem, Ser Psíquico (p.199) -, conceitua o homem como um Ser trino, visto que, aponta em sua constituição três elementos principais em sua constituição, a saber: “O corpo físico, envoltório material temporário, que abandonamos na morte; O perispírito, envoltório fluídico permanente, invisível aos nossos sentidos, que acompanha a alma em sua evolução; A Alma, principio inteligente, centro de força, foco da consciência e da personalidade”. E acrescenta que a “Alma despendida do corpo material e revestida do seu invólucro sutil, constitui o Espírito, ser fluídico, de forma humana, liberto das necessidades terrestres, invisível e impalpável”.
Portanto, compreende-se então que o existir humano, é na verdade, um interexistir com o Perispírito, este é o espelho da alma e sustentáculo do corpo físico. Envoltório sutil e perene da alma, que possibilita sua interação com os meios espiritual e físico, assim, o Perispírito é por excelência o elo inter existencial.
Para compreendermos melhor este ser que, chamamos de Perespírito e que constitui/compõem a estrutura do Ser Humano como o conhecemos, é necessário compreendermos o que é afinal a matéria. Assim, recorremos a André Luiz que em sua Obra E a Vida Continua (p.70), nos relata que, “a chamada matéria densa não é senão a energia radiante condensada. Em última análise, chegaremos a saber que a matéria é luz coagulada, substância divina, que nos sugere a onipresença de Deus”. Portanto, a matéria é uma forma e/ou fase da energia, em última instancia fluido cósmico universal.
O Perispírito é então, o resultado da aglutinação da energia cósmica motriz (fluido cósmico), possui uma estrutura eletromagnética, tão sutil que os Espíritos da Codificação usaram o termo semimaterial para qualifica-la. André Luiz falando do Perispírito em seu livro Evolução em Dois Mundos (p.26), o define como “uma formação sutil, urdida em recursos dinâmicos, extremamente porosa e plástica, em cuja tessitura as células, noutra faixa” vibram e possuem “a respectiva carga elétrica” para o desenvolvimento da vida terrena.
A pretexto de concluir, se faz necessário afirmar que “tal como a luz, a matéria vibra e quanto maior a frequência da vibração, menos densa e mais sutil será” a matéria. Assim, o Perispírito “vibra numa frequência mais elevada que a do corpo denso” – físico. Portanto, quanto mais superior for o Espírito menos denso é o seu Perispírito e quanto mais primitiva for a mente, esta “vestidura se caracteriza pela feição pastosa, verdadeira continuação do corpo físico, ainda animalizado ou enfermiço” (ZIMMERMANN, p.30 e 33).
O Ser espiritual (Perespírito) é o “elemento chave na relação interdimensional, apresenta-se como fator dos mais importantes na economia da vida física e espiritual”, é verdadeira “chave que nos abre o entendimento da nossa condição” de natureza espiritual do Ser Humano, na sua realidade interexistencial (ZIMMERMANN, p.21).
Por Valdecir Martins
Bibliografia:
DENIS, Léon. Depois da Morte – 11ª edição, Ed. FEB, Tradução João Lourenço de Souza, Rio de Janeiro/RJ, 1978.
LUIZ, André (Espírito), XAVIER, F.C (médium). E a Vida Continua – 35ª edição, Ed. FEB, Brasilia/DF, 2014.

LUIZ, André (Espírito), XAVIER, F.C, e VIEIRA, W. (médiuns). Evolução em Dois Mundos – 27ª edição, Ed. FEB, Brasilia/DF, 2014.