Seguidores

quinta-feira, 9 de março de 2017

"JESUS NÃO SALVA NINGUÉM. ”

A maior parte da cristandade tem Jesus como o Salvador. Jesus não salva ninguém, pois isso requer uma atitude íntima, só se salva quem quer. Entendem que Jesus morreu crucificado para pagar os nossos pecados. Como se fosse possível que os erros cometidos por um fossem resgatados por outro. Cada um colhe aquilo que plantou, e ninguém, por melhor que seja, pode reajustar o que nós desajustamos.
Seria muito injusto se Jesus quitasse as dívidas de todos. Cada um tem a conta de um tamanho diferente. Uns devem mais, outros devem menos. Uns se comportaram direitinho, outros aprontaram muito. Não seria nada equitativo se um salvador externo pagasse tudo por todos, indistintamente. É uma visão muito infantil.
Jesus não é salvador
Você acha que Jesus pode salvar você?
O fato é que Jesus não salva ninguém. Jesus não pode salvar ninguém. Só é salvo quem quer, e isso é uma atitude individual, íntima, de si para consigo.
É comum ouvirmos pessoas dizerem que estão pagando por erros passados, que estão quitando o seu carma, que estão resgatando dívidas. Muitos espíritas ainda acreditam em castigo divino! A primeira pergunta do primeiro livro espírita fala de Deus, e ainda há muitos que pensam que Deus castiga.
A Lei de causa e efeito se encarrega de promover oportunidades de reajuste. Ninguém escapa dos resultados de suas ações. Se tiver algum merecimento, pode escolher, até certo ponto, as condições de reencarne, mas o reajuste terá que acontecer de qualquer jeito. Então se queixam de que a sua prova é muito dura, que o seu fardo é muito pesado, que só pode ser castigo. Não. Na verdade, o que importa, mesmo, não é o gênero de prova, mas o que se propõe a aprender com ela.
Porque tudo é aprendizado. Para quem acredita num Deus soberanamente justo e bom, para quem entendeu o mecanismo das Leis que nos regem a Vida, é até um contrassenso falar em expiação. Não importa se as características de nossas vidas são expiações ou provas, não interessa em que degrau da escada evolutiva nós estamos. Tudo é oportunidade de aprendizado. Voltamos à matéria para aprendermos o que ainda não tínhamos aprendido.
Na escola, quem não aprendeu toda a matéria deve repetir o ano. Em relação à Vida ocorre o mesmo. Os quesitos em que falhamos teremos que repetir, às vezes em condições mais duras, que é pra consolidar o aprendizado. Mas cada vez que reencarnamos estamos sendo abençoados com mais uma chance, é mais uma demonstração da misericórdia infinita de Deus, que sempre nos perdoa e concede novas oportunidades de tentarmos novamente.
Deus não castiga, Deus perdoa. Perdoa sempre. Quando desencarnamos, já estamos perdoados. O que colhemos não é castigo de Deus, mas fruto de nossas próprias imperfeições e da desarmonia que causamos. Deus nos perdoa e nos deixa livres para tentarmos outra vez. Nós é que temos que nos perdoar, nos comprometer com a rearmonização e nos empenharmos em salvar a nós mesmos.
É você quem deve salvar a si mesmo. Jesus mostrou o caminho. Quem deve segui-lo é você. Não há salvação vinda de fora, a salvação deve partir de dentro de você. A isso chamamos reforma íntima. Reforme-se e estará se salvando. Estará se despojando do homem velho para dar lugar ao homem novo. Essa autos salvação tem início com o desenvolvimento da Vontade e da Razão. Vontade firme e forte para fazer o que se sabe, comprovadamente, que é o certo. Razão para distinguir o que é real e o que é quimera, o que é importante e o que é superficial.
Quando se fala em autoajuda, no âmbito espírita, nota-se algum preconceito. Mas para salvar a si mesmo é preciso ajudar a si mesmo. Isso não é autoajuda? Eu acho que é. As religiões em geral esperam por uma alto ajuda, uma ajuda vinda de fora. O espírita sabe que deve ajudar a si mesmo, deve auto ajudar-se. As religiões em geral esperam uma altos salvação, esperam que Jesus as salve. O espírita sabe que deve autos salvar-se, despertando dentro de si mesmo o seu Cristo interno.

Morel Felipe Wilkon

“A SEGUNDA VINDA DO CRISTO -VISÃO ESPÍRITA. ”

Muita gente, mesmo no meio espírita, encarou a entrada do Terceiro Milênio como um período apocalíptico.
Imaginou-se Jesus chegando, acompanhado de todos os anjos, sentado num trono glorioso, e todos os povos da Terra reunidos diante Dele, e Ele separando os justos (trigos) dos injustos (joios), para a chegada do Reino Divino. Este tipo de comportamento é próprio da imaturidade humana.
Observemos um detalhe: Se os escolhidos forem OS MANSOS E PACÍFICOS como afirmou Jesus em "O Sermão da Montanha", nosso Planeta ficará às moscas. Pois, poucos podem dizer que deixaram de ser agressivos.
Como disse Chico Xavier: “devemos lembrar que a Humanidade conquistará os valores espirituais ao longo de vários séculos, através de muitas reencarnações, que possibilitarão a promoção de nosso planeta. Até lá, teremos muitas idéias renovadoras, apresentadas e vivenciadas por missionários que já estão encarnados entre nós ou outros que ainda virão, para estimularem as criaturas humanas nos caminhos da renovação.” Portanto, a separação acontecerá na medida em que retornarmos ao Além (ao desencarnarmos). Os Espíritos que persistirem no mal (OS JOIOS) encarnarão em planetas inferiores. Os bons (OS TRIGOS) herdarão a Terra, ou seja, continuarão a encarnar na Terra para desfrutarem de um mundo melhor.
Jesus, ao se despedir dos discípulos, antes da crucificação, conforta dizendo: "Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora." E lhes anuncia: "Se me amais, guardai os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai e ele vos dará outro Consolador a fim de que esteja para sempre convosco. Ele é o Espírito de Verdade, quem o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece (POR SER ESPIRITUAL). Vocês o conhecem, porque ele mora com vocês, e estará com vocês. Eu não deixarei vocês órfãos, mas voltarei para vocês. Mas o Consolador, o Espírito Santo, que o Pai vai enviar em meu nome, ele ensinará a vocês todas as coisas e fará vocês lembrarem tudo o que vos disse."
Jesus deixou claro que tem muito a nos ensinar, mas se nos dias atuais muitas pessoas não suportam ouvir falar sobre a reencarnação, por exemplo, imaginemos naquela época.
Notemos também que o Consolador prometido não é Jesus, é o Espírito de Verdade ou Espírito Santo, ou seja, não é uma pessoa encarnada, mas sim de natureza espiritual. Então, nós espíritas, acreditamos que Jesus cumpriu sua promessa, voltando através do Espiritismo, ou seja, pela doutrina ditada pelos Espíritos, através de vários médiuns, e organizada por Kardec.
ENTÃO O ESPIRITISMO É A RELIGIÃO DO FUTURO? Segundo Léon Denis, o Espiritismo não é a religião do futuro, mas o futuro das religiões, ou seja, as religiões se renderão a reencarnação, a comunicação com os "mortos", terão uma ligação direta entre a criatura e o Criador, sem intermediários, sem rituais, sem pagamentos, sem trocas, sem barganhas, sem superstições e sem sacerdócio profissional.
O Espiritismo veio relembrar os ensinamentos de Jesus (confirmar sua missão), permanecer conosco (não em pessoa, mas espiritualmente), conduzir a toda a verdade (que antes não suportaríamos).
Mas é exatamente o que o Espiritismo faz, por meio das manifestações dos bons Espíritos. Invisíveis, mas atuantes, longe de negar ou destruir o Evangelho. Faz com que adoremos a Deus pela elevação do pensamento a Ele, com fervor e com sinceridade, fazendo o bem e evitando o mal, sem precisarmos de qualquer manifestação exterior para cultos, pois o principal templo para culto da Presença Divina é a CONSCIÊNCIA.
Portanto, o Reino, como ensina Jesus, é uma realização interior, uma construção íntima, uma disposição para cumprir as leis divinas, que se resumem no amor e se exprimem no serviço ao semelhante. Onde as pessoas cumprem essa orientação, instala-se o Reino, alicerçado em seus corações.
Como disse irmão X, através da psicografia de Chico Xavier: "Cada um de nós é um mundo, onde o Cristo deve renascer." Portanto, preparemos este mundo, para que Ele renasça em nós, ou seja, que nossos atos, palavras e pensamentos lembrem a presença Dele. Então, a volta de Jesus será simbólico, ou seja, Ele estará presente em nossas ações, ou melhor, nossas ações lembrarão Jesus.
Acreditamos que, a vinda do Cristo se dará na continuação que daremos naquilo que Ele fez e pediu que fizéssemos. Como cultivar a solidariedade, para que desapareçam as diferenças sociais, os preconceitos, as lutas de classes, as disputas, os crimes, as explorações. Daí, um mundo novo se instalará na Terra.

Grupo de estudos “Allan Kardec.”. Compilação de Rudymara