Seguidores

terça-feira, 31 de maio de 2016

“COMUNICAÇÃO DOS ESPÍRITOS”

Algumas pessoas têm estranhos conceitos a respeito dos Espíritos.
Acreditam que, após a morte, todos se tornam anjos de pureza e sabedoria.
É comum se ter notícias de pessoas famosas. Muitos artistas que vêm dizer das suas atividades no mundo espiritual. Falam de garra, de luta.
E as pessoas se deixam iludir. Não se dão conta do estilo de vida daquelas criaturas. E nem do gênero de morte.
Temos ouvido elogios às mensagens de um ou de outro.
Criaturas que, durante a vida física, se permitiram toda sorte de prazeres: álcool, fumo, sexo, drogas.
Alguns até perderam o corpo de carne por suicídio indireto e direto.
Porém, vem dizer que estão bem. Que continuam a compor, que está tudo legal com eles. Falam até em serem protetores de alguns dos seus fãs.
A crermos serem verdadeiras tais mensagens, é de nos perguntarmos: Onde a justiça de Deus?
Pois o homem de bem anda no reto dever a vida toda e estará bem no mundo espiritual. O inconsequente e leviano também?
Vigilância! Bom senso! Não nos deixemos seduzir por tolices.
A cada um será dado segundo as suas obras. A afirmativa é do Cristo.
Vamos convir assim que os que na Terra dilapidaram o tesouro do corpo, se encontrarão no mundo espiritual doentes, necessitados de auxílio, confusos.
Seres que necessitarão da Misericórdia Divina. De tempo para se equilibrarem.
Nenhuma chance imediata de se tornarem anjos da guarda ou Espíritos guias.
Falando das penas e recompensas, os Espíritos asseveraram: a felicidade dos Espíritos é sempre proporcional à sua elevação.
Para os que delinquiram no mundo, as penas proporcionais: o avarento fica às voltas com coisas materiais, que já não pode gozar.
O devasso com as orgias de que ainda deseja participar.
O orgulhoso inveja as honras que não mais recebe. Enfim, cada um vive no mundo espiritual o que viveu na Terra.
A morte a ninguém transforma.
Seres angélicos só os que na carne serviram no bem, doaram-se e realizaram o que era bom.
Os que cultivaram o belo, continuarão a fazê-lo. Os que criaram o desequilíbrio, a desarmonia, prosseguirão a fazê-lo.
Um dia despertarão. Nesse dia, iniciarão seu curso para o reequilíbrio, que é sempre lento.
Afinal, a natureza não dá saltos, não há varinha mágica para transformar um mau em bom, altruísta, benevolente.
Em 1969, o Espírito Irmão X entrevistou o Espírito de Marilyn Monroe.
Ela morreu por ingestão de pílulas. Suicídio indireto, pois não buscava a morte. Só desejava dormir um pouco.
Acerca dos seus planos para o futuro, falou:
À condição de doente, quero melhorar. Em seguida, como aluna no educandário da vida, preciso repetir as lições e provas em que fali... Por agora, não devo e nem posso ter outro objetivo que reencarnar, lutar, sofrer e reaprender.
Redação do Momento Espírita, com base no cap. 1,
do livro Estante da vida, pelo Espírito Irmão X, psicografia de
Francisco Cândido Xavier, ed. FEB e no cap. 2, pt. 4, de

O livro dos Espíritos, de Allan Kardec, ed. FEB.