Seguidores

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

"O MUNDO ESPIRITUAL"

Conforme se ache (o Espírito) mais ou menos depurado e desprendido dos laços materiais, variarão ao infinito o meio em que ele se encontre, o aspecto das coisas, as sensações que experimente, as percepções que tenha.
Das infinitas esferas da vida do Mundo Espiritual a literatura mediúnica espírita tem-nos informado de algumas, que vamos conhecer visando apenas o melhor entendimento do tema.
POIS DEVEREMOS RETORNAR À PÁTRIA ESPIRITUAL E TEMOS QUE CONHECER PARA ONDE VAMOS. 
São:
ABISMO
TREVAS
ESFERAS TERRESTRES
UMBRAL
ZONA DE TRANSIÇÃO
ESFERAS SUPERIORES
ESFERAS RESPLANDESCENTES

VAMOS CONHECER UM POUCO DE CADA

ABISMO – Região Espiritual de padecimentos inenarráveis, destinada a Espíritos que tenham cometido os mais graves crimes contra as Leis Divinas. Os Espíritos vinculam-se consencialmente à região e aglutinam-se em "Vales" ou "Áreas", consoante os erros grosseiros que tenham cometido na última reencarnação. 
O Espírito CAMILO no livro "Memórias de um suicida "conta-nos os seus sofrimentos em razão do gesto de tirar sua vida. 
EUZÉBIO instrutor de André Luiz nos diz: "Aqui os avarentos, os homicidas, os cúpidos e os viciados de todos os matizes se agregam em deplorável situação." 
TREVAS – Região Espiritual desprovida de qualquer luminosidade, constituindo morada de Espíritos ainda envolvidos pelas mais diversas vibrações do mal e que tenham tido comportamento moral condenável em suas oportunidades reencarnatórias. 
No livro "Libertação" André  Luiz nos conta de uma expedição a uma "colônia espiritual", sustentada por vibrações espirituais negativas. 
"vizinha a região dos homens, começa um vasto império espiritual. Aí se agitam milhões de espíritos imperfeitos, que partilham com as criaturas terrenas, as condições de habitabilidade da crosta do Mundo. 
ESFERAS TERRESTRES – A terra como se sabe é um mundo de "Expiação e Provas, onde domina o mal". Assim Espíritos viciosos das mais diversas naturezas sintonizam com as vibrações deletérias dela imanadas permanecendo a ela vinculados.

No livro NAS FRONTEIRAS DA LOUCURA de Divaldo Franco pelo Espírito Manoel F Miranda reporta-se à época do carnaval na cidade do Rio de Janeiro, para que possamos aquilatar a nossa natureza vibracional e o nosso envolvimento com pensamentos de baixo nível. 
"As mentes em torpe comércio de interesses subalternos, haviam produzido uma psicosfera pestilenta na qual se nutriam vibriões psíquicos, formas-pensamento de mistura com Entidades perversas, viciadas, dependentes, em espetáculo pandemônico, deprimente" 
UMBRAL – É uma região espiritual que começa na crosta terrestre na qual se concentra tudo o que não tenha finalidade para a vida superior. É a região para esgotamento de resíduos mentais ; uma zona purgatorial, os Espíritos aí confinados julgam-se injustiçados e sentem-se desesperançados por não terem encontrado na Vida Maior aquilo que suas crenças religiosas divulgaram. 
LÍSIAS no livro NOSSO LAR de Chico Xavier, André Luiz  diz que no Umbral encontram-se "legiões compactas de almas irresolutas e ignorantes, que não são suficientemente perversas para serem enviadas à colônia de reparação mais dolorosa, nem bastante nobres para serem conduzidas a planos de elevação" É uma região semi trevosa habitada por Espíritos consciencialmente culpados de erros diversos conta as Leis Divinas. 
ZONAS DE TRANSIÇÃO – São colônias espirituais inseridas no Umbral, quais fossem oásis nos desertos. Os Espíritos que conseguem alcançá-las , por méritos conscienciais, nelas encontram amparo e assistência podendo reajustar-se e até mesmo evoluir. 
NOSSO LAR e MANSÃO PAZ ,são duas dessas colônias. Mas existem também os chamados "Postos de Socorro", que funcionam como bastiões avançados, numa incessante busca de novos Espíritos que tenham logrado reunir condições para acessar novas paragens, mais evoluídas vibracionalmente. 
ESFERAS SUPERIORES – São regiões de felicidade , onde estacionam Espíritos devotados de grande elevação moral , lá habitam os Bons Espíritos e os Espíritos Superiores. 
André Luiz foi visitar sua mãe quando estava dormindo em Nosso Lar nessa esfera. 
ESFERAS RESPLANDESCENTES – Regiões Espirituais onde impera a bondade , a confiança e a felicidade verdadeiras. 
No livro RENÚNCIA ditado pelo Esp. Emmanuel/Chico Xavier, é descrita a paragem espiritual a que está vinculado o Espírito ALCÍONE  são paisagens que nossa pobre imaginação não consegue nem sonhar. 
CAROS OUVINTES ESTE FOI UM PEQUENO PASSEIO PELAS REGIÕES ESPIRITUAIS 
ISSO PORQUE QUANDO DESENCARNARMOS NÓS VAMOS PARA ALGUMA DELAS 
É MUITO PROVÁVEL QUE FIQUEMOS NA ZONA DE TRANSIÇÃO , 
E VAMOS CONHECER UM POUCO MAIS DE CIDADES DESSE LUGAR 
Nosso Lar, Colônia Socorria Moradia, Colônia Campo de Paz, Casa Transitória de Fabiano, Colônia da Música, Redenção - ISSO NO BRASIL 
- Os espíritos errantes sentem fome . Na maioria das vezes os desencarnados, após o desligamento do corpo físico são atormentados pelo desejo de satisfazerem necessidades fisiológicas, como SEDE e FOME incontroláveis. 
Afirmam os espíritos que existem fábricas de concentrados de sucos e sopas sujeitas à manipulação da Espiritualidade. 
Nos hospitais os alimentos são fornecidos aos enfermos a fim de se revigorarem. 
Os espíritos errantes comem e bebem. Absorvem principalmente muita água, pois é um ótimo alimento para o perispírito. 
ÁGUA é um poderoso veiculo de fluido de qualquer natureza. Ex.: ÁGUA FLUIDIFICADA. 
- Tanto no plano terreno como no plano espiritual, os Espíritos Superiores lutam pela instituição de um idioma comum, pois a diversidade de línguas segundo sua opinião perturba a comunicação entre os homens. 
Em muitas obras é citado o ESPERANTO , idioma criado pelo mensageiro do Cristo Lázaro L. Zamenhof (1857 a 1917 ) divulgado por ele em 1887, como o elo de ligação entre os povos. 
O ESPERANTO – é usado pela CEE como idioma oficial entre os membro o Brasil – DF – tem junto com o Inglês nas escolas. 
Toda a infra-estrutura das Colônias Espirituais é um perfeito sistema previdenciário que tem como objetivo o atendimento de toda a população espiritual necessitada de assistência e amparo. 
Os tratamentos se efetivam através da ASSISTÊNCIA MÉDICA, da ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL da REABILITAÇÃO e do SERVIÇO SOCIAL 
O doente nas Colônias recebe assistência completa, isto é em todos os aspectos: desde 
RESGATE NAS ZONAS UMBRALINAS 
PASSANDO PELO TRATAMENTO MÉDICO HOSPITALAR 
Até A CONVALESCENÇA daí a CONCLUSÃO do APRENDIZADO PRODUTIVO, A readaptação a NOVA VIDA e a PREPARAÇÃO PARA FUTURA REENCARNAÇÃO 
Os enfermos são sempre acolhidos com atenção e carinho. 
OS SUICIDAS, as CRIANÇAS, e os DESECNARNADOS DE FORMA VIOLENTA são os mais necessitados de atenção e tratamentos especiais 
A MEDICINA e a ENFERMAGEM são praticadas com amor e dedicação. 
Consta que muitos profissionais que não souberam honrar o diploma adquirido na Faculdade ou cometeram atos dolosos ou culposos, colocam seus serviços a disposição, objetivando a APRENDIZAGEM e RETIFICAÇÃO dos erros praticados. 
– Onde há agrupamento de indivíduos impõe-se o estabelecimento de uma estrutura organizacional onde as pessoas se orientem dentro da coletividade de que fazem parte.
 A população das Colônias Espirituais está dividida entre ASSISTENTES e ASSISTIDOS , ADMINISTRADORES e ADMINISTRADOS. 
São geralmente comunidades heterogêneas, adultos, crianças, jovens, velhos, mulheres, homens convivem e trabalham conjuntamente. 
Excepcionalmente a Colônia Espiritual é constituída especialmente para crianças ou suicidas. 
No conceito humano dá-se o nome de ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL às diversas camadas ou classes sociais. 
No mundo espiritual o que determina a estratificação É O GRAU DE EVOLUÇÃO dos espíritos, a importância social e financeira, como é obvio neste caso não tem nenhuma influência. 
HIERARQUIA BASEADA NA AUTORIDADE MORAL 
As instituições que formam o Mundo Espiritual formam um conjunto harmônico em que imperam a ORDEM e a JUSTIÇA. 
A DIREÇÃO é exercida por um governador. Geralmente os espíritos trabalham em equipes e os grupos de trabalho são subdivididos e 
MINISTÉRIOS : COMUNICAÇÃO 
AUXILIO 
ESCLARECIMENTO 
REGENERAÇÃO 
UNIÃO DIVINA 
ENCARNAÇÃO 
ELEVAÇÃO 
Subordinados aos ministérios estão os : 
HOSPITALAR 
DEPARTAMENTOS VIGILÂNCIA 
AUXILIAR 
Toda a estrutura está ligada a GOVERNADORIA que é um órgão DIRETIVO 
A SUPERVISÃO GERAL das Colônias que circulam a Terra é atribuída por Jesus a vários mensageiros espirituais, o BRASIL por exemplo está sob a tutela de ISMAEL . Jesus não é visto pelos Espíritos, mas é descrito como UMA LUZ, UMA FORÇA 
Há creches e escolas apropriadas a educação infantil. 
Nas Colônias Espirituais a REEDUCAÇÃO e INSTRUÇÃO são indispensáveis . 
Os centros de estudo oferecem várias formas de educação e lazer. Todos os habitantes são estimulados a participarem de tarefas e estudo. 
Os Espíritos mais evoluídos recebem o CARGO DE MESTRE ou INSTRUTOR. 
Qualquer Espírito errante pode continuar no Mundo Espiritual as tarefas e os estudos interrompidos pela desencarnação, desde que assim o deseje. 
CURSOS: MORAL , FILOSOFIA , CIÊNCIA , PSICOLOGIA , PEDAGOGIA , ARTES 
O ENSINO se realiza através de métodos didáticos moderníssimos e das mais aperfeiçoadas técnicas 
Existem CURSOS, PALESTRAS, CONFERENCIAS , tudo coadjuvado por recursos visuais, aparelhos especiais, e sistema eletrônico avançado. 
Nas cidades espirituais, todos cooperam, através do trabalho para o engrandecimento do patrimônio comum 
As leis trabalhistas são cumpridas rigorosamente dentro do período de dias, meses anos. 
Existem hora do almoço, hora da prece coletiva (ao cair do crepúsculo) 
Segundo ANDRÉ LUIZ a jornada normal é de 08 horas diárias, sendo permitido 04 extras , com uma semana de trabalho de 06 dias
No Espaço o descanso é rigorosamente observado. 
Segundo ANDRÉ LUIZ o Governador de N LAR nunca repousa, quanto mais evoluído mais trabalha. 
Nos SERVIÇOS SACRIFICIAIS as horas são contados em DOBRO e as vezes ao TRIPLO 
EX.: IMPORTÂNCIA DA FUNÇÃO MATERNAL – Se um determinado lar se dedica a ADOÇÃO DE CRIANÇAS além de contar em dobro as horas trabalhadas, fica dispensada das tarefas externas. 
NAS COLÔNIAS UM DOS MAIS VALIOSOS INSTRUMENTOS DE REABILITAÇÃO É O TRABALHO - Usado com TERAPIA OCUPACIONAL 
A medida que o Espírito convalescente se interessa pelo serviço a comunidade, dedicando-se a qualquer tarefa ainda que das mais simples, vai da mesma forma sedimentando a cura. 
Salário BONUS HORA = 01 hora de trabalho 
Ex.: 01 casa 30.000 bônus hora 
Meus amigos devemos nos preparar para retornar ao Mundo Espiritual, e uma das maneiras é conhecendo e a outra é começar a fazer aqui do mesmo modo que lá.

Fonte: “Portal do Espírito”   http://portaldoespirito.com.br








"ONDE E QUANDO NASCEU JESUS?

Sempre me fiz essa pergunta… Onde será que Jesus nasceu? Finalmente, consegui obter uma resposta:
Perguntemos a Maria de Magdala, onde e quando nasceu Jesus. E ela nos responderá:
Jesus nasceu em Betânia. Foi certa vez que a sua voz, tão cheia de pureza e santidade, despertou em mim a sensação de uma vida nova com a qual até então jamais sonhara.
Perguntemos a Francisco de Assis o que ele sabe sobre o nascimento de Jesus. Ele nos responderá:
Ele nasceu no dia em que, na praça de Assis entreguei minha bolsa, minhas roupas e até meu nome para segui-lo incondicionalmente, pois sabia que somente ele é a fonte inesgotável de amor.
Perguntemos a Pedro quando deu o nascimento de Jesus, ele nos responderá:
Jesus nasceu no pátio do palácio de Caifas, na noite em que o galo cantou pela terceira vez, no momento em que eu o havia negado. Foi nesse instante que acordou minha consciência para a verdadeira vida.
Perguntemos a Paulo de Tarso, quando se deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá:
Jesus nasceu na Estrada de Damasco quando, envolvido por intensa luz que me deixou cego, pude ver a figura nobre e serena que me perguntava: Saulo, Saulo porque me persegue? E na cegueira passei a enxergar um mundo novo quando eu lhe disse:
Senhor, o que queres que eu faça?!
Perguntemos a Joana de Cusa onde e quando nasceu Jesus. E ela nos responderá:
Jesus nasceu no dia em que, amarrada ao poste do circo em Roma, eu ouvi o povo gritar:
Negue! Negue!
E o soldado com a tocha acesa dizendo: Este teu Cristo ensinou-lhe apenas a morrer? Foi nesse instante, que sentindo o fogo subir pelo meu corpo, pude com toda certeza e sinceridade dizer: Não me ensinou só isso, Jesus ensinou-me também a amá-lo.
Perguntemos a Tomé onde e quando nasceu Jesus. Ele nos responderá:
Jesus nasceu naquele dia inesquecível em que ele me pediu para tocar as suas chagas e me foi dado testemunhar que a morte não tinha poder sobre o filho de Deus, Só então compreendi o sentido de suas palavras: Eu sou o caminho, a verdade e a vida.
Perguntemos à mulher da Samaria o que ela sabe sobre o nascimento de Jesus. E ela nos responderá:
Jesus nasceu junto à fonte de Jacob na tarde em que me pediu de beber e me disse: Mulher eu posso te dar a água viva que sacia toda a sede, pois vem do amor de Deus e santifica as criaturas. Naquela tarde soube que Jesus era realmente um profeta de Deus e lhe pedi: – Senhor, dá-me desta água.
Perguntemos a João Batista quando se deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá:
Jesus nasceu no instante em que, chegando ao rio Jordão, pediu-me que o batizasse.
E ante a meiguice do seu olhar e a majestade da sua figura pude ouvir a mensagem do Alto: Este é o meu Filho Amado, no qual pus a minha complacência! Compreendi que chegara o momento de ele crescer e eu diminuir, para a glória de Deus.
Perguntemos a Lázaro onde e quando nasceu Jesus? Ele nos responderá: Jesus nasceu em Betânia, na tarde em que visitou o meu túmulo e disse: – Lázaro! Levanta. Neste momento compreendi finalmente quem ele era… A Ressurreição e a Vida!
Perguntemos a Judas Iscariotes quando se deu o nascimento de Jesus. Ele nos responderá:
Jesus nasceu no instante em que eu assistia ao seu julgamento e a sua condenação. Compreendi que Jesus estava acima de todos os tesouros terrenos.
Perguntemos a Bezerra de Menezes o que ele sabe sobre o nascimento de Jesus e ele nos responderá:
Jesus nasceu no dia em que desci as escadas da Federação Espírita Brasileira e um homem se aproximou dizendo: Vim devolver-lhe o abraço que me deste em nome de Maria, porque renovei minha fé e a confiança em Deus.
Foi naquele instante que percebi a Sua misericórdia e o Seu imenso amor pelas criaturas.
Perguntemos, finalmente, a Maria de Nazaré onde e quando nasceu Jesus. E ela nos responderá:
Jesus nasceu em Belém, sob as estrelas, que eram focos de luzes guiando os pastores e suas ovelhas ao berço de palha. Foi quando o segurei em meus braços pela primeira vez e senti se cumprir a promessa de um novo tempo através daquele Menino que Deus enviara ao mundo, para ensinar aos homens a lei maior do amor.
Agora pensemos um pouquinho:
E para nós, quando Jesus nasceu?
Pensemos mais um pouquinho:
E se descobrirmos que ele não nasceu?
Então, procuremos urgentemente fazer com que ele nasça um dia destes, porque, quando isso acontecer, teremos finalmente entendido o Natal e verdadeiramente encontrado a luz.
Que Jesus nasça em nossos corações e que seja sempre Natal em nossas vidas, para que nunca nos falte a Esperança e a Alegria Cristã.
FELIZ NATAL!!!
(Francisco Cândido Xavier)

ESPÍRITOS PRESOS A TERRA

Pode uma alma, após a morte, permanecer presa à Terra?
Sim, pode. Isso acontece muitas vezes. As almas presas à Terra são pessoas que, após a morte, não conseguiram desligar-se dos seus corpos físicos e da vida que levavam. Eles permanecem envolvidos pelo magnetismo terrestre, presos ao nível da crosta planetária, e não conseguem se desprender do apego à existência que já se encerrou. Geralmente eles acreditam ainda estar vivos, e não entendem por que as pessoas não falam mais com eles. Essas almas possuem um acesso bem fácil aos encarnados, e podem mesmo se ligar psiquicamente a eles. Com isso, eles atrasam sua entrada nos planos mais sutis e permanecem em estado de perturbação e sofrimento.
O médium mineiro Francisco Cândido Xavier diz o seguinte: Quando o corpo é reclamado pelo sepulcro, o espírito volta à pátria de origem, e, como a natureza não dá saltos, as almas que alimentam aspirações puramente terrestres continuam no ambiente do mundo, embora sem o revestimento do corpo carnal.
É possível a alma evoluir nesse estado de prisão?
A evolução encontra-se em todos os estados e condições, mas pode-se dizer que ela é insignificante quando a alma está presa à Terra. O ser desencarnado atrasa muito seu desenvolvimento espiritual, fica quase que estagnado; é como se ele ficasse congelado ou cristalizado dentro dos parâmetros de mente e comportamento. Nesse sentido, eles tendem a repetir estereotipadamente os padrões da última personalidade e também do momento da transição. Por exemplo, um rapaz morre num acidente de carro e fica chamando pelos seus pais. Ele pode ficar invocando a presença dos pais por períodos bem longos, sem perceber que sofreu um acidente e não possui mais corpo físico. Também contribui consideravelmente para a prisão no plano da Terra uma morte rápida e trágica. A alma não tem tempo de perceber o que ocorreu e pode ficar confusa com o impacto da súbita transição.
O que uma alma faz quando fica presa à Terra?
Algumas vezes ela tenta realizar as mesmas atividades de quando estava encarnada; outras vezes fica próxima de parentes e amigos, tentando um contato. Em outras situações, como já dissemos, ela fica repetindo os mesmos padrões de ação e comportamento de sua última existência. Em casos não tão raros, ela fica perambulando por locais que lhe foram familiares em vida ou peregrina por locais desconhecidos. Quando isso ocorre, na maioria das vezes ela acaba se conectando com um encarnado, e participa de seus prazeres e de sua vida. Sem que o encarnado se dê conta, ela pode guiar seus pensamentos, desejos e até as principais escolhas de sua vida. Porém, o mais grave é a vampirizarão de energias vitais que se processa nessa conexão psíquica entre ambos. A alma presa à Terra necessita da vitalidade de pessoas para se manter no nível da crosta terrestre. Na maioria das vezes, suga as energias sem perceber o prejuízo que lhes causa.
Podeis enumerar um outro motivo da alma permanecer presa a Terra?
Geralmente, o ceticismo extremo ou mesmo o dogmatismo religioso podem ser a causa do aprisionamento. Os céticos conservaram ao longo da vida arraigadas concepções sobre a inexistência da vida após a morte, e, ao se deparar com uma realidade que negaram ao longo da existência corpórea, eles se recusam a enxergar sua nova condição. Não acreditam que possam estar mortos e ainda assim vivendo, pois sempre guardaram uma inquebrantável convicção que a morte é o encerramento definitivo da existência humana.
Os céticos da vida após a morte podem experimentar duas condições mais gerais: a primeira é um estado de perturbação pós-morte, uma firme negação de sua nova condição, o que gera confusão e até desespero. Por outro lado, os céticos podem unir-se a outros céticos, numa experiência coletiva, e podem acreditar que foram transladados para outro mundo, um local estranho que eles não sabe como chegaram ali, mas creem ainda estar vivos.
O mesmo ocorre com os fanáticos religiosos; a ortodoxia, o sectarismo e o dogmatismo são grandes entraves a visão da realidade pós-morte. O religioso fundamentalista crê firmemente que, caso estivesse mesmo morto, deveria estar agora nos céu, no reino de Deus que sempre almejou em sua passagem pela Terra. Ele acreditava na sua salvação, e não pode admitir que, após a morte, ele não fosse recebido pelo ícone do seu culto. Essa prisão é fato corrente para um número significativo de religiosos fanáticos, aprisionados em suas próprias concepções cristalizadas.
Por outro lado, ele pode encontrar-se frente a frente com suas convicções religiosas, que nada mais são do que suas próprias criações mentais produzidas quando encarnados. Ele pode envolver-se nessa ilusão de suas formas de pensamento e viver de acordo com elas. Porém, isso possui algo de providencial, pois a vida após a morte seria algo doloroso demais se as almas não pudessem, de certa forma, adaptar suas crenças ao novo ambiente e viver de conformidade com eles, caso ainda não estejam prontos para uma comunhão com estados sutis mais reais.
Há outros motivos para a fixação no nível da crosta terrestre?
Sim, esses motivos variam conforme a individualidade de cada alma. Mas existem motivos gerais a se considerar:
1 - Não cumpriram seu roteiro kármico (proposta encarnatória).
2 - Suicidaram-se e deixaram assuntos inacabados.
3 - Possuíam extremo apego a Terra e aos desejos materiais.
4 - Viciaram-se em álcool, fumo, comida, sexo, lazer, prazeres diversos.
5 - Tinham medo de morrer e após o desencarne continuaram negando a morte.
6 - Dificuldade de aceitarem que passaram pela transição e não têm mais corpo físico.
7 - Morte súbita (os espíritos não tiveram tempo de perceber que morreram).
8 - Ódio e vingança a algum desafeto.
9 - Apego a entes queridos ou a pessoas próximas.
10 - Ceticismo fortemente arraigado.
11 - Morte após deficiências mentais ou transtornos psíquicos graves.

Que dizer sobre as estórias sobre espíritos aprisionados em locais específicos?

Essas estórias podem ser reais. Alguns espíritos podem fixar-se em lugares em que eram muito afeiçoados durante a sua vida. Muitos ficam presos a sua própria residência; outros aos lugares onde ocorreu sua transição; outros ainda se unem a outras almas que escolhem um local propício a sua permanência. Esse é o fundamento das chamadas “casas mal assombradas”, que reúnem grande número de almas perdidas e presas em locais específicos. Ocorre com certa frequência uma ligação psíquica entre a alma recém-desencarnada e pessoas que compraram o imóvel onde a alma passou a maior parte de sua vida.
Disseste que uma alma pode ficar presa à Terra em decorrência do ódio a desafetos. Podeis explicar melhor?
Enquanto o ódio aprisiona, o amor liberta. No Novo Testamento está escrito: Nós sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama a seu irmão permanece na morte. (João 3: 14). Isso significa que, aqueles que não amam, permanecem presos no ódio e aprisionados no nível terrestre após o passamento. Não é possível neutralizar o ódio com o esquecimento, pois em épocas futuras esse ódio regressará numa outra roupagem, numa outra forma de manifestação. O ódio só pode ser dissipado com amor e o perdão. O amor vem da consciência de que todos nós estamos interligados, que somos uma mesma família universal e estamos numa mesma missão cósmica; todos somos almas ainda inferiores, dependentes, ignorantes e limitadas. Compreender isto é uma forma de libertação de todo o ódio. Devemos também compreender que ninguém pode nos tirar nada, nem destruir qualquer de nossos bens sem a nossa participação. Nosso corpo pode ser queimado, torturado, destroçado e morto; mas nossa alma só será tocada se assim permitirmos. Esse foi o caso de Jesus: enquanto o corpo físico e a personalidade humana de Jesus estavam sofrendo dores lancinantes na cruz, sua alma, seu espírito imortal estava completamente ausente e invulnerável a mortificação de sua carne. Ele assistia tudo de fora, sem se envolver no sofrimento que lhe acometera. As maiores maldades podem ser realizadas conosco, mas uma alma de luz, um ser mais evoluído, não pode ser atingido, pois ele sabe que não é matéria, não é esse ego nem essa personalidade; ele é algo infinitamente maior e que não pode jamais ser destruído. O espírito é indestrutível, é perene; vive para sempre e não é subjugado pelo caráter transitório da matéria e do mundo da manifestação. As almas que carregam o ódio dentro de si invariavelmente se prendem nos liames da matéria e podem permanecer longos períodos esperando para consumar sua vingança. Ela desconhece que estará tão presa e ficará tão mal quanto aquele que deseja prejudicar.
Almas de luz não poderiam resgata-las se assim desejassem?
Já dissemos que uma alma pode fixar-se em seus pensamentos, imagens mentais e padrões após a morte. Pois bem, quando ela fica nesse estado, a comunicação com o que está a sua volta é perdida. Ela está tão envolvida por uma autohipnose, tão cristalizada dentro de suas repetições, está de tal forma mergulhada em suas tendências, criando ilusões atrás de ilusões, que seu pensamento e percepção ficam girando em torno de si mesmo. Dessa forma, ela se fecha em seu mundo psíquico e não entra em contato e nem enxerga o que está ao seu redor. Quando é este o caso, as almas de luz sequer conseguem chegar até ela. Muitas vezes, esse resgate, caso ocorresse, seria uma violação de seu livre arbítrio. Se a alma ainda deseja estar naquele nível, uma alma mais evoluída não poderia contrariar sua própria vontade, mesmo que ela esteja seguindo um caminho que lhe seja prejudicial. O mesmo ocorre na Terra.

Quando uma alma não fica presa à Terra, qual será o seu destino?
O grau de densidade de seu corpo etérico diminui, conforme ela vai se desvinculando de sua existência física. Os resíduos de materialidade do seu antigo corpo físico vão se dissolvendo, e ela aceita sua nova condição vibratória. Ela deixa para trás sua última vida, sem apego, assimilando as lições que necessita, revendo seus erros e compreendendo o que precisa fazer para melhorar-se. Conforme o tempo vai passando, seus níveis de maior densidade e materialidade vão sendo dissipados. Ela vai descartando os envoltórios menos pesados e adquirindo outros mais sutis. Muitas tendências grosseiras vão sendo depostas na matéria primordial de seu nível, e isso a permite ascender a planos mais sutis.
Tendo em vista essas considerações, podemos concluir que os contos e estórias sobre obsessões e possessões são reais, e não mera fantasia?
Sim, são reais e podem estimular a formação de diversos males ao ser humano.
Podeis nos dar exemplos desses males causados pela ligação psíquica entre as almas presas a Terra e os encarnados?
As repercussões desse processo são bem numerosas, mas podemos citar os prejuízos mais gerais:
Sintomas físicos: doenças, dores, mal estar, náusea, dor na nuca, enjoo, arrepios, tontura, cansaço excessivo, estafa.
Problemas mentais: problemas de memória, desatenção, dissociação, falta de clareza, embotamento, parada do pensamento, confusão mental, ideias suicidas, despersonalização, pesadelos recorrentes, alucinações auditivas e visuais.
Descontrole emocional: ansiedade, angústia, medo, irritação, depressão, tristeza, choro sem causa aparente, impulsividade.
Inclinação às drogas: abuso de álcool, maconha, tabaco, drogas injetáveis, remédios.
Problemas com peso: Pelo estímulo à compulsão pela comida ou à perda de apetite, como obesidade, anorexia, bulimia.
Problemas de relacionamento: timidez, fobia social, introversão, dificuldade de comunicação.
Problemas sexuais: falta ou excesso de desejo sexual.
Fechamento dos caminhos: tudo parece dar errado, oportunidades não aparecem, dificuldade de expressar nosso potencial.


Autor: Hugo Lapa