Seguidores

domingo, 29 de novembro de 2015

"DESENCARNAÇÕES COLETIVAS"

Sendo Deus a Bondade Infinita, por que permite a morte aflitiva de tantas pessoas enclausuradas e indefesas, como nos casos das grandes tragédias?

(Pergunta endereçada a Emmanuel por algumas dezenas de pessoas em reunião pública, na noite de 28 de fevereiro de 1972, em Uberaba, Minas Gerais.)
Resposta:

Realmente reconhecemos em Deus o Perfeito Amor aliado à Justiça Perfeita. E o Homem, filho de Deus, crescendo em amor, traz consigo a Justiça imanente, convertendo-se, em razão disso, em qualquer situação, no mais severo julgador de si próprio.
Quando retornamos da Terra para o Mundo Espiritual, conscientizados nas responsabilidades próprias, operamos o levantamento dos nossos débitos passados e rogamos os meios precisos a fim de resgatá-los devidamente.
É assim que, muitas vezes, renascemos no Planeta em grupos compromissados para a redenção múltipla.
Invasores ilaqueados pela própria ambição, que esmagávamos coletividades na volúpia do saque, tornamos à Terra com encargos diferentes, mas em regime de encontro marcado para a desencarnação conjunta em acidentes públicos.
Exploradores da comunidade, quando lhe exauríamos as forças em proveito pessoal, pedimos a volta ao corpo denso para facearmos unidos o ápice de epidemias arrasadoras.
Promotores de guerras manejadas para assalto e crueldade pela megalomania do ouro e do poder, em nos fortalecendo para a regeneração, pleiteamos o Plano Físico a fim de sofrermos a morte de partilha, aparentemente imerecida, em acontecimentos de sangue e lágrimas.
Corsários que ateávamos fogo a embarcações e cidades na conquista de presas fáceis, em nos observando no Além com os problemas da culpa, solicitamos o retorno à Terra para a desencarnação coletiva em dolorosos incêndios, inexplicáveis sem a reencarnação.
Criamos a culpa e nós mesmos engenhamos os processos destinados a extinguir-lhe as consequências. E a Sabedoria Divina se vale dos nossos esforços e tarefas de resgate e reajuste a fim de induzir-nos a estudos e progressos sempre mais amplos no que diga respeito à nossa própria segurança. É por este motivo que, de todas as calamidades terrestres, o Homem se retira com mais experiência e mais luz no cérebro e no coração, para defender-se e valorizar a vida.
Lamentemos sem desespero quantos se fizeram vítimas de desastres que nos confrangem a alma. A dor de todos eles é a nossa dor. Os problemas com que se defrontaram são igualmente nossos.
Não nos esqueçamos, porém, de que nunca estamos sem a presença de Misericórdia Divina junto às ocorrências da Divina Justiça, que o sofrimento é invariavelmente reduzido ao mínimo para cada um de nós, que tudo se renova para o bem de todos e que Deus nos concede sempre o melhor.


Chico Xavier-EmmanueL




"AGRADEÇA A DEUS O DIA DE HOJE."

O dia de hoje é um dia maravilhoso que nunca irá se repetir. Agradeça a Deus por esse dia, sorria pra você mesmo, sorria para os outros e faça deste dia um dia inesquecível!
O mundo que você conhece é feito de pensamentos. Os países, os Estados, as cidades, os bairros, as ruas, cada quadra de uma rua, um pedaço de calçada desta quadra, a pedra desta calçada. Tudo isso, antes de existir do modo como você conhece, antes foi pensamento de uma pessoa ou de várias pessoas.
A sua casa foi planejada por alguém. Antes de ser construída, ela era pensamento. Estava no pensamento de quem a concebeu, com todos os detalhes. Os móveis da sua casa, antes de serem móveis, foram pensamentos de quem os projetou. Existia a matéria-prima. Madeira, metal, plástico. Mas alguém constrói em pensamento para depois construir na matéria.
Você é o resultado dos seus pensamentos. A situação que você vive hoje só existe por causa dos seus pensamentos. Seu emprego, sua profissão, seu grau de instrução, sua situação financeira, seu estado de saúde, sua família, seus amigos, tudo o que se relaciona a você é resultado dos seus pensamentos. Exagero? Não, acredite que não. Por que aquilo que não tem causa nesta vida, esconde a sua causa no seu passado de espírito imortal. Tudo se entrelaça; espíritos, pensamentos e situações as mais diversas. Tudo é um emaranhado matematicamente exato de causas e consequências.
Homens como Sócrates e Jesus se deixaram morrer em nome de suas verdades. Sem falar nos inúmeros mártires que se deixaram matar em nome de sua verdade, nos primórdios do cristianismo. Todos eles homens bons e inteligentes. No caso de Sócrates e Jesus, extremamente inteligentes. Será que sacrificariam as suas vidas apenas por um capricho? Será que não voltaram atrás em suas ideias só por birra?
A verdade sobre nós nos é ensinada há milênios. Nós teimamos em ignorá-la. Teimamos em não levar a sério as recomendações de Jesus quando nos disse que tudo o que pedirmos, acreditando já ter recebido, obteremos. Teimamos em não levar a sério as recomendações de Jesus quando nos disse claramente que é dando que recebemos.
Isso não é figura de linguagem, é lei universal! Você obtém tudo o que deseja e tudo o que teme. Tudo o que ocupa o seu pensamento com força se realiza. Tudo o que você pensa do próximo, tudo o que você deseja ao próximo, tudo o que você fala e faz para o próximo é o que acaba acontecendo com você. Inevitavelmente. Porque é isso o que ocupa o seu pensamento. O que você deseja, o que você fala e o que você faz é o que toma conta do seu pensamento. E se está no seu pensamento, cedo ou tarde se realiza.
Experimente transformar o seu dia! Não importa que horas são agora. Mude já o seu dia. Sorria! Sei que você cumpre com os seus deveres, que você já faz a sua parte, que você não é obrigado a sorrir e estar de bom humor o tempo inteiro. Experimente fazer mais do que a sua parte. Faça o que você já estava fazendo e acrescente a isso o seu sorriso. Ninguém no mundo tem um sorriso igual ao seu . Ele é a sua melhor expressão. O seu sorriso traz à superfície o melhor de você. Pode ser um sorriso forçado, mas sorria!
Sorria para os outros, não se preocupe se eles estranharem. Trate-os com carinho, com amizade. Você é bom! Você tem a bondade infinita de Deus dentro de você! Deixe vir para o seu rosto só uma partezinha dessa bondade imensa que você tem!
Você é o que você pensa. E se você estranhou muito esse negócio de ficar sorrindo à toa, é porque você não tem pensado coisas muito positivas… O pensamento é determinante para o seu estado de espírito. Pense em coisas boas, pense em coisas alegres, forme imagens de alegria em sua mente, lembre de fatos agradáveis e felizes.
O dia de hoje é um dia maravilhoso que nunca irá se repetir. Esse sorriso que você deu agora há pouco, você nunca mais irá dar. Já passou. Tudo passa, tudo passa muito rápido e a vida é preciosa demais pra você ficar gastando seus minutos com pensamentos tristes ou raivosos ou tensos. Agradeça a Deus por esse dia, sorria pra você mesmo, sorria para os outros e faça deste dia um dia inesquecível!

"AMAR É O CAMINHO PARA A FELICIDADE"

Curar as doenças do ser humano é algo que desafia incessantemente os homens de ciência, levando o homem da ciência a buscar anos a fio por uma terapia adequada para os mais variados tipos de enfermidades existentes e que ainda estão por vir.
Isto se dá de forma permanente, porquanto ao lograrem bons resultados terapêuticos frente a esta ou àquela enfermidade, logo outra surge pondo à prova a inteligência e a persistência desses homens dedicados a minorar o sofrimento alheio.
Todavia, aparece em nossos tempos, não que outrora não existisse, mas descoberto por nós, e de forma bem categórica, o grande efeito curador do amor, tornando-se a exteriorização desse sentimento uma autêntica panaceia no meio científico
O mais interessante desse novo tipo de “medicamento terapêutico” é que ele não custa nada, pode ser ministrado por qualquer pessoa e se aplica com o paciente perto ou longe do seu curador. Já tendo sido realizado por médicos, a relação da enfermidade com a fé e a oração, que são cultivos do próprio potencial de amar de cada um.
Antes de curar com o amor, muitos médicos estudiosos do assunto chegaram à seguinte conclusão: quando se consegue que as pessoas curadoras amem a si mesmas, algumas coisas incrivelmente maravilhosas começam a acontecer, abrangendo não só o aspecto psicológico mas sobretudo o físico.
Ao tomar uma postura psicológica altamente positiva e altruísta, o mundo físico interior do paciente sofre também alteração semelhante, melhora, cura-se, reequilibra-se.
Necessário, assim, ao terapeuta induzir seus pacientes e a eles próprios a sentirem e expressarem o amor. Muito se tem visto a questão do relaxamento terapêutico que conduz o ser humano a esferas interiores, proporcionando a si mesmo momentos de tranqüilidade e de refazimento, moldando como conseqüência uma saúde mais plena, ou pelo menos o indício de tudo isso. E tem-se observado que o retorno do paciente após essas terapias, ele retorna bem mais tranqüilo, em comparação ao que havia iniciado. O seu tônus vibratório, pulsação, batimentos cardíacos são paulatinamente reequilibrados dando uma sensação de bem estar profundo.
Compete, antes de tudo, ao terapeuta, transmitir de forma persuasiva ao seu paciente que ele é amado pelo seu curador e que ele, doente, é criatura digna de ser amada, a atenção dada pelos profissionais da área de saúde será recurso imprescindível no tratamento.
O amor é importante na cura porque é o mais significativo elemento da vida humana, constituindo-se, sem embargo, como a síntese da vida em sua expressão holística. Sugerimos a leitura do capítulo 18 do livro “Nosso Lar”, da série André Luiz, psicografia de Chico Xavier, cujo título é “Amor – Alimento das Almas”, edição da FEB. Somo criados pelo Amor (DEUS), e cada um de nós é parte integrante desse amor, pena é que ainda não descobrimos ele inteiro.
O amor deve ser doado de forma espontânea, nunca compulsoriamente. Amar não se impõe, é um ato de livre escolha. Ninguém deve ser constrangido a amar, porque amar é movimentação energética do espírito que se transmite e somente assim o faz quem a tem; não se falsifica condição energética sem a ter. Tudo que é obrigado causa constrangimento e conseqüentemente superficialidade. Por isso, ame não finja, e não force ninguém a amá-lo.
Erroneamente se fala em o “amor verdadeiro”, o que levaria à suposição da existência de o “amor falso”. Dado, a várias interpretações erronias que existem sobre o amor.
Ora, amor é amor, sem gradação alguma, e nós aduzimos: não se conjuga, em essência, o verbo amar no passado ( eu amei ), porque quem ama nunca deixa de amar.
No presente e no futuro, tudo bem ( eu amo, eu amarei ) mas no passado, não. É uma heresia ao amor.
Várias são as formas de passarmos a nos amar. Podemos recorrer à meditação, à oração, utilizar a música em busca do bem-estar interior ou simplesmente nos colocarmos diante de um espelho e dizermos a figura ali refletida que a ama, a quer muito, que ela é muito bela e que tudo fará por amá-la para sempre, com total fidelidade. Pare, agora, e olhe para você mesmo, já viu o quanto és uma bela pessoa, olhe bem, não finja, você é belo, importante e merece ser amado, primeiramente por você mesmo, pois você é o próprio fulcro gerador desse amor.
O trabalho do terapeuta é o de colocar o paciente de novo no caminho reto, ou seja, aquele caminho que o levará a se valorizar, auto-perdoar-se e amar-se. Isto significa fazer com que o paciente se sinta capaz de contribuir para um mundo melhor, ofertando-lhe o seu amor.
O contato físico para a cura ( não é o sexual ) tem significativa importância, é conveniente. E quando se ama, não se deve alimentar o receio de abraçar o paciente, apertar sua mão, demonstrar carinho por ele através do afago.
A alimentação do ressentimento pode conduzir pessoas até mesmo ao crime. Aquilo que não se diz é, geralmente, o que mais dano provoca na criatura, doente ou candidata a adoecer. O ressentimento é um veneno que nós mesmos tomamos e esperamos que o outro morra.
Os nervos do ressentido se torna um gatilho prestes a disparar a exagerada sensibilidade, pronto a explodir por qualquer motivo insignificante, nessas horas apresentando um tipo de reação desproporcional ao fator desencadeador do ressentimento. Se nos víssemos diante de um espelho nesse momento do revide, verificaríamos uma transformação profunda em nossa entranhas até, mudança radical da fisionomia e expressões físicas, desastrosas.
Chegaram os estudiosos da terapia do amor à conclusão, até certo ponto já do conhecimento público, que o fundamental é se amar o que se está fazendo.
Por índole ancestral o ser humano somente valoriza o que perde. Quando a coisa perdida está à plena disposição pouco ou nada significa. Pois sem nos valorizar, dificilmente valorizaremos os outros.
A vida saudável e seu dinamismo pulsante dentro de nós não o percebemos quando estamos bem. Somente quando o véu da morte paira sobre a nossa cabeça nos chocamos com a possibilidade do seu envolvimento.
O que é a cura? É toda uma movimentação química que ocorre no interior das nossas células, conduzindo-nos à retomada da ligação com a vida na plenitude de nossa capacidade de ação.
Curar-se é alcançar maiores níveis de capacidade de amar a nós, ao próximo e à vida, é aquele estado que nos conduz à vida mais plena. Vamos, com isso, notando que curar-se é, em essência, um fenômeno espiritual, pelo fato de ter a sua gênese no espírito. A cura é, pois, espiritual. Corpo sadio é sintoma de espírito saudável, feliz, que se ama. Devemos buscar objetivamente a saúde do espírito, e não apenas do corpo, sendo esse procedimento o que os médicos mais atualizados estão fazendo.
A síntese da mensagem de Jesus é que chegássemos ao patamar da nossa cura espiritual, ao dizer que prosseguíssemos vivendo e que não continuássemos pecando.
No tratamento que conduz à cura existe um elemento que ultrapassa a técnica e que é fator vital unificador de todos os agentes e métodos de cura que só agora começa a ser explorado e utilizado – o amor. 
O amor tem força curativa, porque leva ao relacionamento afetivo, a capacidade de nos fundir, de nos tornar unos, mesmo que seja por breves intervalos conosco mesmo, com o próximo, com a vida. “O amor é alimento das almas”.
Participação original e espontânea na vida, livre de julgamentos;
Perceber as profundezas de onde emana o nosso envolvimento com a vida; e,
Amar incondicionalmente.
Vale buscar a síntese do que acima acabamos de registrar, isto é, que amar é imprescindível e o maior amor que já esteve aqui chama-se Jesus. Urge vivermos seus ensinos como a única forma de curar e de nos curarmos. Quem se cura, pode curar. Agora, quem ainda não alcançou a própria cura...

Aluney Elferr Albuquerque Silva